EU PREFIRO SER ESSA METAMORFOSE AMBULANTE



por João Marcos Bezerra - jmarcoscb@gmail.com
Baseado no Estudo 6 “Santos Transfigurados” do livro “Joias do Novo Testamento Grego” de Kenneth Wuest

E transfigurou-se diante deles; e o seu rosto resplandeceu como o sol, e as suas vestes se tornaram brancas como a luz. (Mateus 17:2 NVI)

Em Mateus 17.1-8 lemos o momento em que Jesus se transfigura diante de Pedro, Tiago e João num monte. Além desses quatro personagens também aparece no alto monte Moisés e Elias. Você já parou para pensar o que este texto significa e o que ele quer ensinar a nós? Não será o foco deste estudo tratar exclusivamente do texto, mas, sim, tratar de um elemento importante desta cena, relacionando a Romanos 12.2.
Antes disso, vamos destacar que, seis dias anteriores a transfiguração no monte, os discípulos, principalmente Pedro, haviam reconhecido que Jesus era “o Cristo, o Filho do Deus vivo” (Mt 16.16) e a partir daí o Mestre começou a explicar tudo o que iria acontecer a Ele (v.21) nos dias que viriam. Outro destaque importante é que o aparecimento de Moisés e Elias no monte também serviu para mostrar aos discípulos que a Lei (Moisés) e os Profetas (Elias) confirmavam que Jesus era o Messias; e, que a aparência de Cristo foi mudada e resplandecia com brilho divino, mostrando que Ele era não só o enviado de Deus, mas o próprio Deus. Então, a mensagem essencial do texto é que Jesus era divino e veio para cumprir o Plano de Salvação, conforme a Lei e os Profetas haviam anunciado.
Mas quero chamar atenção a palavra transfigurado. Em português é definida como alterado e transformado. No grego este termo é metamorpho que significa mudar de forma, transformar, transfigurar. Segundo Wuest, Jesus “alterou Sua forma externa de expressão, a saber, de servo para” Deus. Para entender melhor, é necessário lembrar que, desde o início do Seu ministério, Cristo se apresentou como servo (Mc 10.45), mas era Deus encarnado (Jo 1.14). Desta forma, no momento da transfiguração o Mestre mostra quem realmente Ele é por meio de uma transformação que ocorreu de dentro para fora do Seu ser, ou seja, aquilo que Ele era realmente no seu interior (divino) extravasa ao ponto de se tornar visível aos discípulos.
Em 2Coríntios 11.13-15 o apóstolo Paulo apresenta um outro tipo de transformação quando expõe os falsos apóstolos. Estes não tinham parte no ministério apostólico, pelo contrário, eram servos de Satanás. O termo grego empregado neste texto é metaschematizo, diferente de metamorpho, e é definido como ‘mudar a figura de’, ou seja, estes falsos alteravam sua aparência para esconder quem eles eram no seu interior, qual era a verdadeira intenção deles. Assim como Satanás se transforma em anjo de luz, mas o que é na verdade é “anjo das trevas”.
Para resumir esta explanação, Jesus quando foi transfigurado no monte mostrou quem realmente era, Deus. Enquanto que Satanás e seus discípulos mudam a forma deles para esconder quem realmente são. Toda essa comparação nos ajudará a entender o que realmente Romanos 12.2 quer dizer: “Não se amoldem ao padrão deste mundo, mas transformem-se pela renovação da sua mente”. Neste versículo encontramos as duas expressões.
Primeiro Paulo escreve “não se amoldem ao padrão deste mundo”, que significa que “os crentes não devem alterar sua expressão externa para uma expressão fingida que não está de conformidade com seu novo ser regenerado” (WUEST). Satanás e os falsos apóstolos colocam uma máscara para esconder seu verdadeiro eu e, em muitas vezes, os crentes querem usar esta peça para acobertar a sua conversão. A nova vida em Cristo não é demonstrada.
Infelizmente, os crentes preferem viver como carnais – na imoralidade sexual, na indecência, nos maus desejos, na avareza, na idolatria, na ira, na malícia, no ódio e com vocabulário indecente e mentiras (Cl 3.5-8), do que no Espírito. Preferem se revestir um pouco destas coisas carnais para não parecerem muito diferentes do mundo. Este não deve ser o comportamento de uma nova criatura em Jesus (2Co 5.17).
Por isso, devemos retirar a carcaça do velho homem e deixar que o Espírito Santo que habita em nós a partir da conversão transborde a glória de Deus em nosso interior de forma que a nossa aparência mostre diferença. Isto é o que significa “transformem-se pela renovação da sua mente” na segunda parte de Romanos 12.2 e está relacionada a transfiguração de Cristo no monte perante os seus discípulos.
Então, qual é a transformação que sofremos? É aquela onde disfarçamos quem somos para poder se adaptar ao grupo a qual pertencemos, para ser aceito pelos amigos e colegas? Ou a metamorfose que expressa que Jesus habita em nossas vidas e temos algo diferente e melhor a oferecer ao mundo? Lembre-se que é a completa mudança para melhor causada pelo novo nascimento que nos faz expressar algo diferente do mundo. Se não mostramos nada diferente, é porque estamos mascarando o novo homem ou não houve conversão. Qual é a alternativa que você está inserido? As pessoas percebem Cristo na sua vida? Se não, você precisa tomar a decisão de mudança hoje para poder experimentar a boa, perfeita e agradável vontade de Deus. 
Eu prefiro ser uma metamorfose ambulante para mostrar Cristo em minha vida e fazer diferença no mundo. E você?!

Comentários

Alexandre disse…
Nunca gostei muito dessa expressão "metamorfose ambulante" para essas transformações cristãs porque me parece uma pessoa instável, levada por qualquer vento de nova doutrina... mas entendi a sua comparação com metamorfose!

Achei massa lembrar essas pessoas que como você disse, se revestem "com um tiquin" de carnalidade só pra não parecer muito diferente, muito CRENTÃO.

Li a pouco um livro falando como sempre foi diferente dentro e fora do Édem, dentro e fora da arca, dentro e fora de Israel, ou seja, com e sem Deus.
Hoje rola dessa diferença ter se tornado muito imperceptível... e tenho certeza que não é porque o mundo está se tornando mais santo, mas é, infelizmente, por motivos contrários...


Show, jão!
Deus te abençoe!
Alexandre, entendi a sua colocação mas penso que a transformação que o Evangelho produz em nós não é INSTANTÂNEA mas um processo que dura TODA A NOSSA VIDA, é de glória em glória! A nossa vida em Cristo é uma contínua METAMORFOSE! Paz!

Postagens mais visitadas deste blog

SÓ QUEM PODE ME JULGAR É DEUS! SERÁ?!

CADMIEL: UMA HISTÓRIA SEM FIM

PRECISAMOS FALAR DE SUICÍDIO NA ADOLESCÊNCIA?