ATRIBUTOS DE DEUS



por João Marcos Bezerra
Txt base: Sl 139

Quem é Deus? Ele existe? Você conhece o Senhor? O que você sabe sobre Ele? É possível conhece-Lo? Você sabia que Ele é um ser cognoscível, que se pode conhecer ou que é conhecível? Isso mesmo! Apesar dos agnósticos afirmarem que não é possível saber se existe ou não um Deus ou conhecer algo dele, o Senhor permite que nós, embora finitos e limitados, conheçamos os Seus atributos.
E como podemos ter noção das qualidades divinas?! Através da Sua revelação geral. Barnabé e Paulo quando curaram um paralítico de nascença em Listra e foram confundidos com os deuses gregos, Zeus e Hermes, respectivamente, humilharam-se diante do povo daquele lugar e gritaram:

Homens, por que vocês estão fazendo isso? Nós também somos humanos como vocês. Estamos trazendo boas novas para vocês, dizendo-lhes que se afastem dessas coisas vãs e se voltem para o Deus vivo, que fez o céu, a terra, o mar e tudo o que neles há. No passado ele permitiu que todas as nações seguissem os seus próprios caminhos. Contudo, não ficou sem testemunho: mostrou sua bondade, dando-lhes chuva do céu e colheitas no tempo certo, concedendo-lhes sustento com fartura e enchendo de alegria os seus corações. (Atos 14.15-17)

Deus se mostra a sua criação através da própria natureza, como é cantado na música “Incondicional” da banda Oficina G3. Mas esta revelação é suficiente para nós conhecermos ao Senhor? Não! Por isso, também podemos conhecê-Lo por meio de Sua revelação específica ou especial, como: os milagres (a exemplo do sol parando em Js 10.11-14), o próprio Cristo – que é a revelação do Pai (Jo 1; Hb 1.1,2), e a Bíblia e o cumprimento das profecias nela contidas (2Pe 1.19-21). E é nesta revelação especial, que é a Bíblia, que tem um salmo de Davi específico bastante revelador de diversos atributos divinos que eu gostaria de compartilhar aqui. [Leia o Salmo 139 antes de continuar!]
Os versos de 1 à 4 e 23 revelam um Deus onisciente:

Senhor, tu me sondas e me conheces. Sabes quando me sento e quando me levanto; de longe percebes os meus pensamentos. Sabes muito bem quando trabalho e quando descanso; todos os meus caminhos te são bem conhecidos. Antes mesmo que a palavra me chegue à língua, tu já a conheces inteiramente, Senhor… Sonda-me, ó Deus, e conhece o meu coração; prova-me, e conheces as minhas inquietações.

Ele é o Senhor que examina o nosso interior. Embora o médico faça todos os exames no nosso corpo (ultrassonografias, endoscopia, colonoscopia etc.), não consegue conhecer todos os detalhes do nosso ser, mas Deus o sabe. Além disso, Ele conhecer até os nossos pensamentos.
No verso 5 observamos uma divindade protetora: “Tu me cercas, por trás e pela frente, e pões a tua mão sobre mim”. O que também é confirmado no famoso Salmo 121.1: “Levanto os meus olhos para os montes e pergunto: De onde me vem o socorro? O meu socorro vem do Senhor, que fez o céu e a terra”.
Outros dois atributos são conhecidos no versículo seguinte: grandiosidade e perfeição: “Tal conhecimento é maravilhoso demais e está além do meu alcance, é tão elevado que não o posso atingir”. O primeiro também é descrito nos versos 17 e 18 deste salmo: “Como são preciosos para mim os teus pensamentos, ó Deus! Como é grande a soma deles! Se eu os contasse seriam mais do que os grãos de areia. Se terminasse de contá-los, eu ainda estaria contigo”. Já o segundo se sustenta no Sl 18.30a: “Este é o Deus cujo caminho é perfeito; a palavra do Senhor é comprovadamente genuína”, que também sustenta a virtude protetora na parte ‘b’ (“Ele é um escudo para todos os que nele se refugiam”).
E o que dizer das linhas 7 e 8: “Para onde poderia eu escapar do teu Espírito? Para onde poderia fugir da tua presença? Se eu subir aos céus, lá estás; se eu fizer a minha cama na sepultura, também lá estás”? Que qualidade divina podemos extrair daqui? Onipresença, também reforçado no final do verso 18. Deus está em todos os lugares. Ele não precisa de espiões espalhados por toda parte para lhe dar informações sobre tudo. Ele nos observa e nos examina do Seu trono nos céus, conforme está explícito no Sl 11.4.
Mais dois atributos deíficos são apresentados juntos por Davi. “Se eu subir com as asas da alvorada e morar na extremidade do mar, mesmo ali a tua mão direita me guiará e me susterá” (v.9,10) apresenta a bondade e misericórdia do Senhor. Esta mesma bondade e misericórdia que nos acompanhará todos os dias de vida e nos permitirá viver na Casa do Senhor para sempre (Sl 23.6).
Glória a Deus! Perceba como este salmo é revelador. Em apenas 10 versículos, dos 24 totais, já conhecemos sete qualidades do nosso Deus: onisciência, proteção, grandeza, perfeição, onipresença, bondade e misericórdia. Só que o melhor é que não acaba por aí. Vamos prosseguir e aprender mais do nosso Pai!
O próximo componente da essência divina está revelada nos versos 11 e 12: “Mesmo que eu dissesse que as trevas me encobrirão, e que a luz se tornará noite ao meu redor, verei que nem as trevas são escuras para ti. A noite brilhará como o dia, pois para ti as trevas são luz”. Neles lemos simplesmente que “Deus é luz; nele não há treva alguma” (1Jo 1.5). Quero só ressaltar que um dos papeis da luz é revelar os nossos pecados (Mc 4.22). Então, ao querer encontrar a Luz precisamos entender que iremos encarar o nosso pior lado para que este seja restaurado por completo por Jesus. Amém?! Pense nisso!
Vamos continuar, então! O atributo de Criador é expresso nos próximos quatro versículos. (Esta qualidade nem precisa dizer que está bem detalhada no capítulo 1º do livro de Gênesis.)

Tu criaste o íntimo do meu ser e me teceste no ventre de minha mãe. Eu te louvo porque me fizeste de modo especial e admirável. Tuas obras são maravilhosas! Disso tenho plena certeza. Meus ossos não estavam escondidos de ti quando em secreto fui formado e entretecido [tecido] como nas profundezas da terra. Os teus olhos viram o meu embrião; todos os dias determinados para mim foram escritos no teu livro antes de qualquer deles existir.

Deus é o Criador! Aleluia!!!
Agora, esta penúltima característica extraída neste cântico de Davi foi o que mais exigiu reflexão da minha parte, porque Deus é tão justo que aceita o nosso desabafo por mais reprovável que seja sem nos punir violentamente, mesmo que seja em “defesa” Dele. Assim como, também a Sua justiça revela a sua bondade e misericórdia através de Cristo àqueles que ainda O rejeitam.

Quem dera matasses os ímpios, ó Deus! Afastem-se de mim os assassinos! Porque falam de ti com maldade; em vão rebelam-se contra ti. Acaso não odeio os que te odeiam, Senhor? E não detesto os que se revoltam contra ti? Tenho por eles ódio implacável! Considero-os inimigos meus! (vs. 19-22)

Para reforça esta compreensão, Rm 12.17-21 escreve:

Não retribuam a ninguém mal por mal. Procurem fazer o que é correto aos olhos de todos. Façam todo o possível para viver em paz com todos. Amados, nunca procurem vingar-se, mas deixem com Deus a ira, pois está escrito: “Minha é a vingança; eu retribuirei”, diz o Senhor. Pelo contrário: “Se o seu inimigo tiver fome, dê-lhe de comer; se tiver sede, dê-lhe de beber. Fazendo isso, você amontoará brasas vivas sobre a cabeça dele”. Não se deixem vencer pelo mal, mas vençam o mal com o bem.

Podemos deixar que a justiça divina é bem superior a nossa. Se devemos defender alguma coisa, essa é a nossa fé, porque é chegado o dia do Senhor onde o Seu juízo punirá a quem é devido.
Por último, o versículo 24 apresenta como atributo moral de Deus a santidade, reforçando também a bondade e misericórdia Dele: “Vê se em minha conduta algo que te ofende, e dirige-me pelo caminho eterno”. Se Deus é santo, também devemos ser (Lv 11.44,45; 19.2; 20.7). É como se Davi repetisse essas palavras da seguinte forma: “Não me deixe amoldar pelos maus desejos de outrora, quando vivia na ignorância”. É como se ele estivesse reconhecendo o seu pecado quando pediu a morte dos e declarou ódio aos seus inimigos. Assim devemos nós também fazer, lembrando sempre que “assim como é santo aquele que nos chamou, sejamos santos também em tudo o que fizermos (paráfrases de 1Pe 1.15,16).
Com tudo isso, aprendemos 11 atributos do Senhor em apenas um salmo, dando a compreender melhor que Deus se permite conhecer ao homem. De forma, que conheçamos melhor a quem adoramos e servimos. Então, quando perguntarem a você quais as qualidades divinas responda que são: onisciente, protetor, onipresente, grandioso, perfeito, amoroso e misericordioso, luz, criador, justo e santo. E quando perguntarem a você como encontra essas características, diga: “No salmo 139!”. Lembre-se: Deus quer que você o conheça. Fique atento!

“Troquei as cores ao redor pra ti mostrar. Criei formas pra fazer você ver e entender”
(Incondicional – Oficina G3)

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

CADMIEL: UMA HISTÓRIA SEM FIM

SÓ QUEM PODE ME JULGAR É DEUS! SERÁ?!

FUSÃO NUCLEAR