SANSÃO E VOCÊ, TUDO A VER?



Por João Marcos Bezerra
Textos Base: Jz 13 – 16

Sansão foi filho de Manoá e de uma mulher até então estéril, moradores de Zorá, cidade fronteiriça a Filístia. Tinha uma força descomunal e julgou Israel por vinte anos. Teve um nascimento glorioso, uma vida inconsequente e uma morte “desastrosa”. Mesmo assim, Deus usou a vida dele para livrar os israelitas das mãos dos inimigos filisteus.

Num determinado dia um Anjo do Senhor apareceu à mulher de Manoá e a informou que ela conceberia uma criança consagrada a Deus. Consequentemente, ela não poderia consumir bebidas fortes e alimento impuro. Além disso, o menino não poderia nunca cortar o cabelo. Imagine como ficou cabeludo!? Unido estas longas madeixas com a sua força, surgiu a lenda de que a força de Sansão estava em seus cabelos. Ledo engano!
Após a primeira aparição do enviado divino, este voltou uma segunda vez, logo depois de Manoá pedir isso a Deus. Muito grato e sem saber que era o Anjo do Senhor, o pai de Sansão quis oferecer ao ser celeste uma oferta e grande honra ao seu nome. Entretanto, o Anjo não aceitou, pedindo ao homem que o fizesse a Deus, pois apenas a Ele se deve render sacrifícios e honras. Assim Manoá o fez e no tempo devido Sansão nasceu e cresceu estimulado pelo Espírito do Senhor.
Já jovem este herói judeu escolheu uma filisteia de Timna como esposa, o que muito desagradou aos pais dele: “Como você pode escolher uma mulher entre esses filisteus nojentos! Isto está errado!” [versão pessoal]. Em meio à caminhada para formalizar o pedido de casamento, bem aceito por parte da moça (diga-se de passagem), Sansão encontra e mata um leão novo com as próprias mãos – isto é, mãos limpas, sem uso de armas ou utensílios. Depois de alguns dias retorna ao local do cadáver e encontra um enxame de abelhas produzindo mel no próprio corpo do animal morto. O que Sansão fez? Pegou um favo de mel, comeu e levou para os seus pais que também se deliciaram da iguaria. “Eca! Mel de defunto!?”
Quando chegou o dia do casamento, como o fortão era de pouquíssimos amigos, seus pais contrataram trinta acompanhantes filisteus para estarem com ele durante o banquete. Querendo aparecer, Sansão os desafiou a decifrar o seguinte enigma: “Do comedor saiu comida, e do forte saiu doçura”. Caso não conseguissem, os homens teriam que dar a ele trinta camisas e trinta vestes festivais. Depois de três dias sem decifrar o enigma, os companheiros não ficaram para trás não, ameaçaram a esposa do Sansão, prometendo matar a ela e a sua família caso não os ajudasse. Aí vocês já sabem o que aconteceu: ela tirou o juízo do marido até obter a resposta. Com isso, o herói perdeu o desafio e teve que conseguir o prêmio. Então, “honestamente” (para não dizer ao contrário), ele foi e matou trinta homens, tirando as suas vestes e dando aos decifradores do enigma. Depois, não deu outra, ele ficou chateado com a sua mulher e foi embora.
Algum tempo depois, Sansão, com a “cabeça fria” e querendo namorar um pouco, resolveu visitar a esposa. Quando chegou à casa do sogro, veio a má notícia: “Como pensamos que você a tivesse abandonado, o seu companheiro ficou com ela. Se quiser, pode ficar com nossa filha mais nova. Topa?” [versão pessoal]. O marido traído ficou tão indignado que jurou vingança e pegou trezentas raposas, amarrou todas pela cauda a um pedaço de lenha em chamas e soltou-as num campo de cereais filisteu. Aí o “bicho pegou”! O fogo foi geral, os homens de Judá foram ameaçados pelos agricultores prejudicados. Com medo, os judeus correram atrás de Sansão, pediram para ele se entregar e livrá-los do ataque inimigo e deram o Juiz aos filisteus revoltos. Mas não foi o fim do herói israelita. Ele se livrou das cordas e com uma mandíbula de jumento matou mil homens. A maratona foi muito grande! Por isso, muito cansado e com muita sede, ele pensou que fosse morrer, mas Deus saciou a sede dele e o revigorou.
Entretanto, a história ainda não acabou aí. Sansão foi para Gaza curtir uma noitada com uma prostituta de lá. Foi emboscado pelos filisteus, mas se livrou ileso, dando mais um prejuízo – arrancou o portão da cidade. Depois conheceu e se entregou a Dalila – ela mesma, a cabeleireira traíra, que se vendeu por setenta quilos de prata e persuadiu o cara a contar o segredo da sua força. O detalhe é que mais uma vez se vê que uma mulher dele o convence com importunação diária, ou seja, perturbou tanto que ele não agüentou mais e falou o que ela queria. Que falta de paciência e sabedora!? Com isso, ele perdeu as madeixas, foi preso, teve seus olhos furados e serviu de “bobo da corte” numa festa até que, numa súplica a Deus, pediu o seu último momento de força descomunal e derrubou a casa, onde ocorria o evento e estavam em torno de três mil pessoas. O Juiz ainda bradou: “Morra eu com os filisteus!”. E assim aconteceu. Depois ele foi enterrado pelos seus compatriotas e lembrado pelos séculos por causa da sua força.

ELE E VOCÊ TÊM TUDO A VER?
Com toda essa trajetória de Sansão, você se identifica com ele, em alguma de suas características? Você e Sansão têm tudo a ver ou não? Depois de revisar a vida deste personagem bíblico, vamos às considerações:
1.      Aquele que é consagrado a Deus não pode tocar em coisas impuras.
Sansão era nazireu de Deus, consagrado ao Senhor, onde não podia tomar bebida forte, comer alimento impuro, cortar o cabelo e aproximar-se de cadáveres, mesmo sendo do pai, mãe ou parente chegado (Nm 6.1-8), mas ele não cumpriu o seu voto, tocando num animal morto e também permitindo que seu cabelo fosse cortado. Além disso, descumpriu a lei do Senhor ao se casar com uma mulher não hebréia (Dt 7.3).
E quanto ao servo de Deus? Não é também este consagrado a Ele a partir da conversão como propriedade exclusiva do Senhor e povo seu (2Pe 2.9)? Então, como pode se comportar como Sansão e descumprir o seu voto ao Criador?
A Escritura é clara: o cristão deve se purificar e fugir das impurezas (2Co 7.1; 1Co 6.12-20; 1Jo 3.9) – [nisso está sexo antes e fora do casamento, pornografia, ódio e rancor, trapaça, suborno, corrupção em geral], não se embriagar (Ef 5.18), não ser causa de tropeço a ninguém (1Co 10.32,33), ser um sacrifício vivo ao Senhor e transformar o mundo através da sua própria vida (Rm 12.1,2), ser santo (1Pe 1.14-16), glorificar a Deus em todos os seus atos (1Co 10.31), imitar a Cristo (1Co 11.1) e buscar ao Criador como algo essencial na vida como prova de amor (Mt 6.33; 1Jo 4.7). Esta deve ser a atitude do discípulo de Jesus Cristo, a quem chamam de cristão. Você vive dessa forma? Ou vive como Sansão? Saiba que Deus o usará como Ele bem quiser, pois é soberano, mas o seu futuro tende a ser nada promissor se seguido o exemplo desse herói judeu.
2.      O jugo desigual causa danos, às vezes irreparáveis.
Sansão se envolveu com três mulheres ímpias [distantes de Deus] e se deu mal em todas as ocasiões. Os seus pais o alertaram da lei e do risco, mas ele as quis porque eram formosas. Com quantas moças ou quantos rapazes atraentes e bonitos você já se envolveu ou quis se envolver apenas pela aparência? Estas mulheres de Sansão não tinham virtudes que o fizessem ser uma pessoa ou um juiz melhor para Israel. Não eram a Mulher Virtuosa de Provérbios 31. Além disso, ele também foi enganado pelos companheiros filisteus e pelo sogro.
A Bíblia recomenda a não sujeição ao jugo desigual (2Co 6.14-18). No contexto bíblico isto se refere a relacionamento conjugal com um incrédulo. Entretanto, acrescento que também não é devido se relacionar com alguém que não esteja sob a mesma missão e propósito que você. Isso pode se enquadrar tanto no aspecto afetivo, como no de amizade, profissional e eclesiástico. [Caso seu namorado (a) não queira ir para a igreja, cuidado quando casar pode não só querer não ir, mas atrapalhar a sua comunhão com Deus. Caso o seu sócio não seja temente a Deus, pode querer que você participe de algum negócio ilícito e colocar você numa enrascada.]
Por isso, você deve escolher bem com quem se relacionar e se manter afastado daqueles que aborrecem, desagradam, a Deus. Pode até mesmo ser cristão, por exemplo: você aceitou a Cristo como Senhor e Salvador da sua vida e se submete diariamente a vontade do Senhor, o outro apenas quer a salvação, mas não o senhorio divino; não mantenha relações fortes com este, pois isso é jugo desigual. Todavia, aos casados com não crentes, a Palavra diz que vocês devem se manter como o Senhor os chamou. Não devem se separar, a não ser que o descrente assim o queira (1Co 7).
Então, você se submete a um relacionamento sem equilíbrio? Alia-se a pessoas que não estão debaixo do mesmo objetivo que você? Você também se parece com Sansão nesse quesito ou não? Aja com sabedoria e se mantenha focado naquilo que o Senhor o orienta, afastando-se daqueles que podem o separar de Deus.
3.      A falta que um amigo faz.
Sansão não tinha amigos. Isso mesmo! Não se encontra evidência alguma de que tinha alguém chegado a ele, senão os pais. Por isso, foram contratados trinta homens para acompanhá-lo no banquete do casamento. E, infelizmente, esta falta de amizades fortes em sua vida o levou a caminhos tortuosos.
Quem sabe se ele tivesse pelo menos um amigo que o aconselhasse com sucesso a não se envolver com mulheres filisteias [do povo inimigo de Israel]? Ou ainda colaborasse para que ganhasse o apoio dos israelitas, em vez de plantar o medo, como alguns compatriotas tinham dele (Jz 15.9-13)? Será que esse amigo não o faria um governante exemplar, como Davi foi? Isso não se sabe, mas o exemplo do Rei Davi mostra que uma boa amizade ajuda e muito (1Sm 18.1-4; 10.1-7; 20.1-43).
A Bíblia fala que “Melhor é serem dois do que um, porque têm melhor paga do seu trabalho. Porque se caírem, um levanta o companheiro; ai, porém do que estiver só; pois, caindo, não haverá quem o levante” (Ec 4.9,10). Entretanto, não é qualquer amigo. É aquele que o ama como está em 1Co 13.4-7 e que morreria por você (Jo 15.13). Isso é difícil de encontrar, mas não é impossível. Você tem alguém assim em sua vida? Ou acha que sozinho alcançará seus objetivos? Continue nessa ideia e termine como Sansão.
4.      A força de Sansão estava unicamente em Deus.
A força do Sansão estava nos seus cabelos, não é mesmo? Negativo! Deus estava com este personagem desde que este foi concebido, esta é uma qualidade observada. O Senhor o incitou em Maané-Dã e deu-lhe o Espírito para poder rasgar o leãozinho ao meio, para matar os mil filisteus com uma queixada de jumento e para derrubar a casa dos príncipes da Filístia. Enquanto ao seu cabelo? Quando Dalila cortou a cabeleira do herói, ele não perdeu a força? Isto realmente ocorreu. Os cabelos representavam uma aliança com Deus. Então, ao permitir que ficassem curtos, ele quebrou esta aliança e o Senhor se retirou dele [este foi o cúmulo porque ele já havia quebrado a aliança quando casou com uma filisteia e comeu mel produzido num cadáver]. Porém, ao clamar ao Senhor pelo último momento de força para acabar com os inimigos, o Criador atendeu ao clamor de Sansão e permitiu que este fosse vitorioso.
E quanto a você? Onde está a sua força? Na sua posição social, profissional, familiar ou de liderança? Ou ainda, no dinheiro? Deve está no seu poder de sedução e persuasão ou em alguém que você conhece, não é não?! Independentemente de onde está sua força, é fato que você é um fraco sem Deus, assim como Sansão. Nada é possível em sua vida sem que o Criador permita. Você pode está firme hoje, mas quando vier a tribulação, será queda na certa.
Por isso, reconheça que ele é o Senhor da sua vida, que Nele você pode todas as coisas (Fl 4.13) e que a excelência do poder é Dele e não sua (2Co 4.7); e ainda seja fortalecido no Pai e na força do seu poder.
Por fim, olhe para esse personagem bíblico e veja em que você e ele têm a ver. Abandone tudo o que fez Sansão cair e siga na direção que tornará você um vencedor. Apesar dos deslizes, Sansão foi um homem usado por Deus de forma tremenda. Seja você também, em nome de Jesus, mas sem os mesmos erros!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

SÓ QUEM PODE ME JULGAR É DEUS! SERÁ?!

CADMIEL: UMA HISTÓRIA SEM FIM

PRECISAMOS FALAR DE SUICÍDIO NA ADOLESCÊNCIA?