FILIPE DC. E VOCÊ, TUDO A VER?



Por João Marcos Bezerra
Textos Base: At 6.1-7, 8.4-40 e 21.8,9

Durante o crescimento da Igreja em Jerusalém, alguns problemas sociais surgiram. Os judeus helenistas, de origem grega, estavam sofrendo discriminação por parte dos judeus hebreus. Então, os Apóstolos decidiram escolher sete homens de bom testemunho, cheios do Espírito e de sabedoria. Estes escolhidos foram denominados de diáconos (abreviado: Dc.) e tinham a função de distribuir alimentos para as viúvas, sem acepção. E quem estava entre eles? Filipe, o diácono ou o evangelista, e não o apóstolo como alguns confundem.
Até o momento em que Filipe foi escolhido para servir na Igreja havia uma certa paz. Todavia, outro diácono, chamado Estevão, causou um grande reboliço e foi levado ao Tribunal Judaico. Lá no Sinédrio ele não mediu palavras, expôs toda a sua sabedoria e conhecimento que tinha das Escrituras Sagradas e advertiu o povo da resistência deste ao Espírito Santo. Você acha que os judeus aceitaram na boa? Como se pressupõe, todo os que ali estavam se enfureceram demais e avançaram contra Estevão, arrastaram este para fora da cidade e o mataram a pedradas. A partir daí, toda a Igreja passou a ser perseguida pelos judeus. Entre os perseguidores estava o futuro apóstolo, Saulo.
É nesse momento que é possível encontrar o nosso personagem na história da Igreja. Com a perseguição, Filipe foi para Samaria e começou a anunciar a Jesus Cristo, a libertar os que estavam possessos por espíritos malignos e a curar os enfermos e deficientes. Com isso, houve grande alegria e uma multidão creu no Senhor e foi batizada, entre eles estava Simão, o mágico. A obra de Deus foi tão expressiva naquela região que os apóstolos Pedro e João foram lá testemunhar e orar para que o Espírito Santo descesse sobre os novos irmãos. E nesse momento se levantou um dos recém-convertidos e tentou comprar o poder divino em Pedro e João.
Lembram do Simão, que Filipe tinha batizado? Antes de se converter ele ganhava muito dinheiro praticando magia. Quando ele viu aquele poder maravilhoso nos apóstolos, pensou logo em quê? “Vou ganhar dinheiro com os crentes” (reconhecem alguém?!) e ofereceu dinheiro para receber o poder divino. Pedro repreendeu e amaldiçoou ao Mago, que logo se arrependeu.
Enquanto isso, o Dc. continuou o seu trabalho em Samaria e Pedro e João retornaram a Jerusalém. Só que Deus tinha outro plano para ele. Um anjo o mandou Filipe ao deserto, mais precisamente à estrada que liga Jerusalém e Gaza. Mas espera aí! O irmão estava fazendo uma grande obra naquela cidade. Muita gente se converteu. Como é que Deus manda esse líder abandonar o seu ministério ali para ir ao deserto? O irmão vai fazer o quê naquele lugar? Vai pregar para quem? Será que Deus queria um pregador de beira de estrada?
Observem como é a ação divina: o diácono prontamente atendeu ao chamado e chegando ao deserto encontrou uma carruagem que levava um eunuco etíope, servo da rainha Candace, prosélito (não judeu convertido ao judaísmo), voltando de Jerusalém, onde este havia prestado o seu culto a Deus. Ao perceber que o eunuco lia as Escrituras, começou um diálogo entre eles:
Filipe: – Olá! Tudo bem? O senhor entende o que lê?
Eunuco: – Rapaz, como posso entender se ninguém me explica. Você pode me ajudar?
Filipe: – É claro que posso!
Eunuco: – Sobe aí! O texto que estou lendo é: “Ele foi levado como ovelha para o matadouro, e como cordeiro mudo diante do tosquiador, ele não abriu a sua boca. Em sua humilhação foi privado de justiça. Quem pode falar dos seus descendentes? Pois a sua vida foi tirada da terra”. Por favor, me diga de quem o profeta está falando? Dele mesmo? Ou de outro?
Com essa deixa, Filipe discorreu as Escrituras e anunciou as boas novas de salvação. O etíope se entregou a Jesus e desejou o batismo: “Olha! Tem água bem ali. O que me impede ser batizado?”
Filipe: – Se você crer nisso de todo o seu coração, nada!
Eunuco: – Eu creio que Jesus é o filho de Deus.
No mesmo instante a carruagem parou, os dois desceram e foi realizado o batismo. Quando saíram da água, num deu nem tempo para mais um bate-papo, pois Filipe desapareceu. O eunuco continuou sua viagem, testemunhou de Cristo para os seus compatriotas e muitos também creram. Enquanto que Filipe, após o batismo, foi levado pelo Espírito Santo para Asdode e Cesaréia, e pregou o evangelho em todas as cidades que passou.
Mesmo passando por muitos lugares, Cesaréia foi o lugar escolhido para a morada do evangelista. Foi lá onde ele constituiu família e teve quatro filhas que se tornaram profetizas e pregadoras das boas novas de Jesus assim como o pai.

ELE E VOCÊ TÊM TUDO A VER?
Com essa pequena trajetória de Filipe Dc., você se identifica com ele, em alguma de suas características? Você e Filipe Dc. têm tudo a ver ou não? Depois de revisar a vida deste personagem bíblico, vamos às considerações:
1.      Faça mais do que lhe mandam fazer
Filipe Dc. foi designado para servir alimentos às irmãs viúvas, ou seja, para a obra social (At 6.1-6). Todavia, ele não resumiu o seu ministério a isso. Foi um evangelista que impactou Samaria (At 8.1-13), Etiópia (At 8.27-39), Asdode, Cesaréia e todas as cidades por onde passou (At 8.40).
O próprio Senhor Jesus exorta os seus discípulos a não serem servos medíocres que fazem apenas o que lhes é mandado: “Assim também vocês, quando tiverem feito tudo o que lhes for ordenado, devem dizer: somos servos inúteis; apenas cumprimos o nosso dever.” (Lc 17.10). Vejam! Somos invocados para ter iniciativa e ser proativos. Além disso, é bom lembrar a “Parábola dos Talentos” (Mt 25.14-30), onde o servo que somente guardou o único talento que recebeu do seu senhor foi punido por não tê-lo investido, e entender que se os dons e talentos que Deus nos dá para uso no Reino Dele não forem utilizados nos serão tirados e seremos julgados por isso.
Então, quando os seus pais ou responsáveis, o seu chefe, o seu pastor, o seu líder ou outra pessoa lhe pedir algo não atenda somente o pedido, ofereça algo mais. Busque investir melhor o que Deus lhe deu e coloque em prática na obra do Reino. E também se antecipe. Se você perceber que algo precisa ser feito e você pode fazer, não espere que alguém lhe peça, aja antecipadamente. Filipe não esperou que os apóstolos chegassem a Samaria para pregar e ganhar vidas para Cristo, ele foi lá e fez. Seja assim também!
2.      Entenda a sua missão como servo do Altíssimo
É até um pouco redundante, mas ressalto que Filipe entendeu a missão dele como servo. Em Mt 28.19,20 Cristo deixou uma missão para a igreja: “Portanto ide, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo; ensinando-os a observar todas as coisas que eu vos tenho mandado…” e em 1Pe 2.9 lê-se: “Mas vós sois a geração eleita, o sacerdócio real, a nação santa, o povo adquirido, para que anuncieis as grandezas daquele que vos chamou das trevas para a sua maravilhosa luz.”.
Os servos de Deus são convocados “para pregar boas-novas aos mansos; restaurar os quebrantados de coração, a proclamar liberdade aos cativos e a abertura de prisão aos presos; a apregoar o ano aceitável do Senhor e o dia da vingança do nosso Deus, a consolar todos os tristes”, seguindo o exemplo do Mestre. Então, entenda quem você é, assim como o Evangelista fez, e coloque em prática a missão que lhe foi confiada.
3.      Permita que Deus o use para transformar grandes personalidades
A atitude pró-ativa de Filipe o fez influenciar muitas pessoas que influenciaram outras. O eunuco etíope (At 8.27-39) e suas filhas (At 21.9) são exemplos disso. Porém, há outro personagem que tocado pela atitude e palavras do Dc. se converteu. Foi Simão, o mágico, também conhecido em Samaria como o “Grande Poder”. Este homem era um ilusionista que enganava os samaritanos e os fazia acreditar que ele era um enviado de Deus (At. 8.9-11). Quando o mesmo viu que muitos creram nas palavras de Filipe e ainda viu os sinais divinos, creu também, foi batizado e se tornou seguidor do Evangelista (At. 8.12,13).
Esta grande personalidade samaritana foi transformada pela instrumentalidade do Diácono. Este não era também um homem de destaque político e social na região, mas permitiu que Deus o usasse. Você também pode e deve ser usado para transformar grandes personalidades. Basta apenas permitir que o Senhor o use como instrumento.
Isso é difícil? Veja o que a Bíblia diz: “E não vos conformeis a este mundo, mas transformai-vos pela renovação da vossa mente, para que experimenteis qual seja a boa, agradável, e perfeita vontade de Deus.” (Rm 12.2). É muito simples: permita que o Pai transforme o mundo através da renovação da sua mente, da mudança causada na sua vida, e impacte a vida de outras pessoas, inclusive grandes personalidades.
4.      Obedecer é melhor do que o “sucesso”
Imagine a situação: Filipe estava desenvolvendo um excelente trabalho na região da Samaria (At 8.5-8). Muitos creram em Jesus e foram batizados (At 8.12). O evangelista estava alcançando muitas ovelhas para o Bom Pastor. Mas, um anjo do Senhor lhe apareceu e o mandou para o deserto (At 8.26). Isso é pasmoso!
Contextualize assim, um pastor chega numa igreja pequena e a transforma numa congregação imensa com um templo gigante, vários ministérios e congregações, um trabalho social memorável no bairro onde a igreja fica e com muitas conversões e batismos. Então, Deus aparece a ele e o manda para uma pequena cidade, pequena mesmo, que tem menos habitantes do que o número de membros da sua igreja. Num seria melhor ele ficar e continuar o trabalho atual, não? Mais pessoas seriam alcançadas na sua igreja do que na cidadezinha.
Filipe poderia ter pensado assim e não ter ido ao deserto como o anjo mandará, mas teria perdido a oportunidade de alcançar um habitante da Etiópia. Este país africano ainda não tinha ouvido a mensagem do evangelho e não o teria ouvido tão cedo se o eunuco não encontrasse Filipe na estrada de Jerusalém a Gaza (At 8.26). Segundo os historiados, esse servo da rainha Candace, que era pagão convertido ao judaísmo e que se tornou cristão no deserto, compartilhou sua fé e muitos dos seus compatriotas se converteram a Jesus (HARLLEY).
Presta atenção! Em qual lugar o resultado foi maior? Em Samaria, onde muitos já haviam se convertido? Ou no deserto, onde um convertido levou a Salvação a uma nação? Na verdade isso não importa, pois Deus fez grande obra nos dois lugares através de um único homem que não se prendeu ao sucesso do ministério; apenas obedeceu a ordem de ir e pregar.
Com isso, aprende-se que o sucesso divino não é compatível com o sucesso humano. O Senhor transforma o mais simples trabalho em algo extraordinário para que a glória Dele se manifeste e vidas sejam impactadas. “Seja ela boa, ou seja má, à voz do Senhor nosso Deus, a quem te enviamos, obedeceremos, para que nos suceda bem, obedecendo à voz do Senhor nosso Deus.” (Jr 42.6). Que esse seja o pensamento de cada um, obedecer a voz de Deus.

Com isso destaco na vida de Filipe Dc., que ter iniciativa, ser proativo e obedecer ao Pai acima de qualquer desejo pessoal ou sucesso almejado leva a pessoa a desfrutar recompensas extraordinárias. As sementes lançadas através da obra divina na vida do Evangelista frutificaram de forma incontável, pois várias cidades e uma nação ouviram o Evangelho da Paz e creram em Jesus. E ainda, ele viu suas filhas crescerem debaixo da presença de Deus e serem instrumentos do Senhor.
Por fim, recomendo que você se mantenha no Caminho Eterno e veja aonde você chegará. “Ora, àquele que é poderoso para fazer tudo muito mais abundantemente além daquilo que pedimos ou pensamos, segundo o poder que em nós opera, a esse seja glória na igreja e em Cristo Jesus, por todas as gerações, para todo o sempre. Amém.” (Ef 3.20,21)

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

CADMIEL: UMA HISTÓRIA SEM FIM

SÓ QUEM PODE ME JULGAR É DEUS! SERÁ?!

PRECISAMOS FALAR DE SUICÍDIO NA ADOLESCÊNCIA?