PIERCING E TATUAGEM, MARCAS CONDENÁVEIS… POR QUEM?!



por João Marcos Bezerra


Para começar, aviso logo aos adeptos e simpatizantes de piercing e tatuagem que não vou defender o uso dessa arte e também aos críticos ferrenhos que também não é minha intenção aqui condenar. O propósito deste artigo é refletir se a Bíblia proíbe ou não e também quais os critérios bíblicos para o uso ou não do piercing e da tatuagem. Por isso, vou ser direto logo de cara e avisar que não há texto bíblico específico proibindo o uso dessas marcas, mas existem critérios e princípios importantes que devem ser levados em consideração.
Para começar, o texto mais usado para combater o uso da tatuagem é Levítico 19.28 (NVI): “Não façam cortes em seus corpos por causa dos mortos, nem tatuagem em si mesmos. Eu sou o Senhor.”. Alguns críticos dizem que este texto não pode ser usado a expressão tatuagem, mas de acordo com versão da Bíblia Hebraica “Westminster Leningrad Codex” traz a palavra “qa’eaqa’” que é traduzido por incisão, impressão, tatuagem, marca. Então, cabe sim a expressão tatuagem, conforme a tradução da NVI.
Este texto está inserido dentro do contexto de Levítico 18, quando o Senhor mandou Moisés escrever esta advertência aos hebreus começou dizendo: “Não procedam como se procede no Egito, onde vocês moraram, nem como se procede na terra de Canaã, para onde os estou levando. Não sigam as suas práticas” (v.3). Nisto, extraímos três considerações:
1)      O objetivo era lembrar que eles eram o povo escolhido e deveria se portar com santidade. Marcar o corpo em homenagem aos mortos e fazer tatuagem fazia parte de rituais religiosos dos povos egípcios e cananeus. O texto de Deuteronômio 14.1 reforça isso;
2)      O motivo ou para quem não se deveria marcar o corpo era para os mortos. Fazendo uma brincadeira, atualmente seria como tatuar o nome ou o rosto em homenagem a alguém, mesmo vivo, porque um dia ele morrerá;
3)      Dentre outras orientações neste texto estava a conduta sexual, orientações para a agricultura e também o corte de cabelo e a barba. Por que diante de tantas orientações nestes capítulos damos maior ênfase a tatuagem e esqueceríamos do corte de cabelo e barba, por exemplo?
Em relação a brincos o texto de Deuteronômio 15.17 é a bola da vez: “então apanhe um furador e fure a orelha dele contra a porta, e ele se tornará seu escravo para o resto da vida. Faça o mesmo com a sua escrava”. Este texto trata do acordo entre o senhor e o escravo judeu que não deseja sair da casa do seu senhor após seis anos de serviço. O brinco era um sinal de servidão perpetua, ou seja, o sinal do escravo que perdia o seu direito de liberdade por amor ao seu senhor. Por algum tempo este texto foi usado para condenar o uso do brinco por homens, mas não para as mulheres. Vai entender!
Com isso, percebemos que não dá para usar esses dois textos e que o problema na proibição da tatuagem e do piercing está num contexto cultural e não bíblico. Entretanto, a Palavra de Deus fornece princípios importantes para que qualquer pessoa tome qualquer decisão na vida e que será o norteador para o uso desses adornos e base desse estudo. O primeiro princípio é o de honrar os pais e os líderes espirituais. (“Hum?! Como assim?!”). Vamos ao que a Bíblia escreve:

Honra teu pai e tua mãe, a fim de que tenhas vida longa na terra que o Senhor teu Deus te dá. (Ex 20.12)
‘Honra teu pai e tua mãe’, este é o primeiro mandamento com promessa. (Ef 6.2)
Filhos, obedeçam a seus pais em tudo, pois isso agrada ao Senhor. (Cl 3.20)
Obedeçam aos seus líderes e submetam-se à autoridade deles. Eles cuidam de vocês como quem deve prestar contas. Obedeçam-lhes, para que o trabalho deles seja uma alegria e não um peso, pois isso não seria proveitoso para vocês. (Hb 13.17)

“Isto quer dizer que só posso colocar um piercing e fazer uma tatuagem se os meus pais permitirem?!”. A resposta é SIM! – “Há, mas eu sou de maior!”. Então, peça a “benção” deles por questão de respeito. “E que história é essa de líderes?!”. Lembre-se que eles prezam por nós e são responsáveis por nós espiritualmente diante de Deus. Além disso, eles conhecem a igreja e a comunidade que você faz parte melhor. Podem evitar qualquer constrangimento e divergência desnecessária. Se você não confia no seu pastor ou seu líder imediato (líder de célula, PG ou ministério) para orientá-lo espiritualmente, recomendo que você mude de comunidade ou ministério (isto é tema para outro texto). Com isso, se seus pais não deixam ou seu pastor/líder não acha conveniente, não faça!
O segundo princípio está em Romanos 14, onde o apóstolo Paulo trata sobre como lidar com os fracos na fé e recomenda que não devemos entrar em debates fúteis. A exemplo disso, ele fala sobre ser vegetariano ou não. Quem é, não condene quem não é, e vice-versa. No caso da tatuagem e piercing, quem não tem não condene quem tem, e vice-versa. Mas o princípio em questão está no verso 23 que finaliza o capítulo da seguinte forma: “Mas aquele que tem dúvida é condenado se comer, porque não come com fé; e tudo o que não provém da fé é pecado.”. Entendo que quer dizer: “se tem dúvida que você deve fazer tal coisa, não faça porque será condenado pela própria dúvida”. Por isso, se não tem certeza se é certo ou errado fazer esses ornamentos no corpo, é melhor não fazer!
Além desses princípios, existe um terceiro princípio para orientação:

Não amem o mundo nem o que nele há. Se alguém amar o mundo, o amor do Pai não está nele. Pois tudo o que há no mundo – o desejo da carne, o desejo de ter o que os olhos veem e a ostentação dos bens – não provém do Pai, mas do mundo. (1Jo 2.15,16)
Este é o nosso orgulho: A nossa consciência dá testemunho de que nos temos conduzido no mundo, especialmente em nosso relacionamento com vocês, com santidade e sinceridade provenientes de Deus, não de acordo com a sabedoria do mundo, mas de acordo com a graça de Deus. (2Co 1.12)

Devemos procurar conduzir a nossa vida com santidade, sinceridade e de acordo com a graça de Deus e não dentro dos valores mundanos. Então, o querer ter uma tatuagem e/ou piercing é por modismo ou para evidenciar alguma parte do seu corpo? Se é para mostrar que você está dentro dos padrões sociais e de acordo com o mundo, ou o quanto o seu corpo ou parte dele é bonito e que aquele ornamento vai evidencia-lo, é melhor não fazer!
O quarto princípio deve ser extraído de 1Coríntios 10.31, onde está escrito: “Assim, quer vocês comam, bebam ou façam qualquer outra coisa, façam tudo para a glória de Deus”; e de 1Coríntios 6.19,20: “Acaso não sabem que o corpo de vocês é santuário do Espírito Santo que habita em vocês, que lhes foi dado por Deus, e que vocês não são de si mesmos? Vocês foram comprados por alto preço. Portanto, glorifiquem a Deus com o corpo de vocês”. Deus é o dono do nosso corpo e da nossa vida. O nosso corpo é morada do Espírito Santo e é Cristo que habita em nós após a conversão. Então, tudo o que nós vamos fazer, seja no corpo ou em outra área da vida, devemos consultar o dono dela. Lembremos que somos apenas mordomos de tudo o que o Senhor nos dá.
Para finalizar, gosto de extrair um quinto e último princípio à luz de 1Coríntios 9.18-23:

Qual é, pois, a minha recompensa? Apenas esta: que, pregando o evangelho, eu o apresente gratuitamente, não usando, assim, dos meus direitos ao pregá-lo. Porque, embora seja livre de todos, fiz-me escravo de todos, para ganhar o maior número possível de pessoas. Tornei-me judeu para os judeus, a fim de ganhar os judeus. Para os que estão debaixo da lei, tornei-me como se estivesse sujeito à lei, (embora eu mesmo não esteja debaixo da lei), a fim de ganhar os que estão debaixo da lei. Para os que estão sem lei, tornei-me como sem lei (embora não esteja livre da lei de Deus, mas sim sob a lei de Cristo), a fim de ganhar os que não têm a lei. Para com os fracos tornei-me fraco, para ganhar os fracos. Tornei-me tudo para com todos, para de alguma forma salvar alguns. Faço tudo isso por causa do evangelho, para ser co-participante dele. (1Co 9.18-23)

A partir daí posso pensar o seguinte: se faço parte de uma comunidade onde o piercing e/ou a tatuagem vão facilitar que as pessoas me aceitem e através da minha vida, do meu testemunho e das minhas palavras elas possam ouvir as Boas Novas de Jesus, o que me impede de fazer? Gosto de pensar nisso porque realmente existem grupos que excluem pessoas porque elas não possuem esses adornos. Assim como tem igrejas que excluem os tatuados e diferentes da sua membresia.
Existem diversas bandas e cantores cristãos que são instrumentos de Deus para alcançar alguns grupos por estes se identificarem com aqueles no estereótipo. Exemplos: roqueiros que são alcançados por roqueiros convertidos, sambistas que são alcançados por sambistas convertidos, e tatuados que são alcançados por tatuados convertidos. Então, neste caso, a tatuagem e/ou piercing é uma forma que Deus pode usar para o bem do Evangelho. Embora, tenhamos que tomar cuidado com os simbolismos das tatuagens para não negar os princípios e valores bíblicos. Todavia, se não estou dentro do contexto acima e faço parte de uma comunidade não cristã e de uma igreja onde estes ornamentos não são bem vistos e onde não vou alcançar ninguém com o Evangelho por causa disso, não vejo necessidade de fazer uma tatuagem ou piercing.
Pessoalmente, não recomendo a ninguém fazer tatuagem ou piercing, ainda mais na adolescência. Neste caso, conhecidos meus e de minha esposa já nos falaram: “evite fazer tatuagem e piercing quando muito novo porque as ideias mudam com muita rapidez e amanhã você pode se arrepender e não ter mais como desfazer”. Mas se o irmão desejar fazer, repasso estes princípios com ele e ainda converso sobre a questão das simbologias.
Com isso, recomendo que todos os irmãos tenham o procedimento de amor e respeito, sem discriminação, tanto com o que já tem, como com aquele que deseja fazer, pois o tatuado ou o que tem piercing não é mais pecador do que o que não tem e menos crente por causa disso. Se quisermos ser imitadores de Cristo, devemos ser uma igreja acolhedora e mostrar que Deus nos chama como estamos para nos transformar numa nova criatura semelhante a Jesus.
Desta forma, espero ter ajudado aos defensores e críticos dessa arte a entenderam melhor o que a Bíblia diz sobre este assunto para que a gente respeite quem tem e seja respeitado por não ter. A Palavra de Deus deve ser o nosso único manual de fé e prática para orientar o nosso comportamento e direcionar as nossas escolhas em todas as fases da vida. Deus nos abençoe!

Comentários

Vou comentar com palavras suas meu irmão:
"A Palavra de Deus deve ser o nosso único manual de fé e prática para orientar o nosso comportamento e direcionar as nossas escolhas em todas as fases da vida"
Tudo certinho no post, glória a Jesus!!
Alexandre disse…
Amém!
Alexandre disse…
Sempre bou ouvir análises sob a ótica da bíblia, e não de opinião pessoal (é assim que deveria ser sempre!).

Sobre isso tudo, vale a pena analisar a REAL razão de estar se fazendo a tatuagem ou piercing. Muitas vezes é ego, sensualidade ou algo assim. Aí, caso a caso, já se pode também ter outros embasamentos para comentar isso...


Valeu, Jão! Fica com Deus, cara! ;-)
Isadora Bastos disse…
Muito bom! Que Deus continue te usando, Pr. Jão! Que a bíblia seja sempre a nossa regra de fé e prática!
Adriano Wilker disse…
Boa reflexão, pastor JM

Creio que todos devem seguir a conduta a ser ensinada na palavra de Deus.

Postagens mais visitadas deste blog

CADMIEL: UMA HISTÓRIA SEM FIM

SÓ QUEM PODE ME JULGAR É DEUS! SERÁ?!

FUSÃO NUCLEAR