SELECIONANDO SUA EQUIPE MINISTERIAL

Por João Marcos Bezerra
Texto Base: Mt 10


Com Jesus aprendemos muita coisa, inclusive sobre gestão e seleção de pessoas. Isso não é novidade, mas quero compartilhar cinco passos que podem ajudar na escolha das pessoas certas para trabalharem com você na Obra.
O texto de Mateus 10 e seus correspondentes Sinóticos escrevem a seleção apostólica e as orientações primárias. É importante perceber a clareza de Jesus sobre missão, desafios e recompensas. Vejam o que extraímos:
1º) Antes da seleção dedique tempo em oração, permita que Deus mostre as pessoas para você (Lc 6.12). Mesmo que levem anos. Deus é o Senhor da Obra (Jo 9.4) e tem a melhor formação para sua equipe.
2º) No momento do convite, apresente a:
·        Missão de forma clara (v.5-8);
·        Necessidade de confiarem em Deus, pois é provedor (v.8b-11);
3º) Mantenha o foco! No momento do convite não insista com quem não aceitar, entregue-o a Deus (v.12-15).
4º) Evidencie a grandeza dos desafios e oriente a equipe para:
·        Buscar e usar a sabedoria do Espírito (Lc 21.14,15);
·        Aproveitar as oportunidades (Lc 21.13);
·        Permanecer firmes até o fim (Mc 13.13b);
·        Não temer ninguém (v.28).
5º) Informe a importância de que:
·        Cristo deve ser evidenciado através da confissão pública na vida de cada um (v.32,33);
·        Todos devem abrir mão dos próprios interesses, pois a missão requer sacrifícios (v.39);
·        O que se envolve e apóia a missão receberá do Senhor a recompensa que lhe cabe (Mc 9.41).
Esses cinco verbos (dedicar, apresentar, manter, orientar e informar) são primordiais na formação de qualquer equipe ministerial com base neste trecho. Que isso possa ajudá-lo a suprir a carência de pessoal no ministério e diminuir a carga que este processo coloca sobre o líder. Lembre-se sempre de seguir as orientações de Cristo na condução da sua equipe.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

SÓ QUEM PODE ME JULGAR É DEUS! SERÁ?!

CADMIEL: UMA HISTÓRIA SEM FIM

PRECISAMOS FALAR DE SUICÍDIO NA ADOLESCÊNCIA?