CARPE DIEM, APROVEITE A VIDA

-->
Por João Marcos Bezerra
Texto Base: Ec 11.8 – 12.7 (versão NVI)

Se você já conhece essa frase e a ouve, o que passa em sua cabeça?!
Carpe Diem é uma frase em latim, escrita num poema de Horácio, filósofo e poeta romano que viveu pouco antes de Cristo, ela quer dizer “colha o dia” ou “aproveite o momento”. Foi recitada pelo Prof. Keating, personagem interpretado por Robin Williams no filme “Sociedade dos Poetas Mortos” de 1989, na seguinte frase: “Carpe, carpe diem, colham o dia garotos, tornem extraordinárias as suas vidas”.
Quando você ouve o termo “aproveite o momento” o que você imagina? Ao ler o livro bíblico de Eclesiastes, percebi que o rei e sábio Salomão faz essa chamada aos seus leitores: “Por mais que um homem viva, deve desfrutar sua vida toda” (v.8). Mas, antes que você, leitor, saia para tomar todas e se embriagar, pegar geral, transar com quem quiser e curtir uma vida sem regras, se ligue na vida do rei Salomão primeiro!
Podemos dizer que ele tinha tudo para aproveitar bem a vida. Tinha muita sabedoria e conhecimento (2Cr 1.11,12). O Senhor lhe apareceu duas vezes (1Rs 3 e 9). Construiu um vasto império, imensa fama e grande poder e fortuna com diversos servos a sua disposição (Ec 2.4-9). Teve setecentas mulheres e trezentas concubinas (1Rs 11.3). Tudo isso é o sonho de muita gente! Não sei este último. Uma mulher só, basta! (rsrsrs)
Embora o Sábio tivesse tudo isso, foi um péssimo pai, seu filho Roboão era mais insensato do que um asno (1Rs 12.1-19), foi infiel a sua amada Sulamita (1Rs 11.3), ficou vaidoso por sua riqueza e sabedoria (1Rs 10), e negou a lei do Senhor e se afastou de Deus (1Rs 11). Isso tudo o levou a ruína! É por isso que vemos um livro escrito com tanta “frustração” por um rei já “idoso” (entre 56 e 58 anos – atualmente esta ainda não é nem a melhor idade). “Que grande inutilidade! Nada faz sentido!” (1.2b).

CHAMADA
No texto base Salomão chama os jovens a seguirem os desejos do seu coração (v.9), a se afastarem da ansiedade e do sofrimento (v.10) e a se lembrarem do Criador antes da velhice e da morte (vs.1-7). Além disso, em todo o Eclesiastes, ele recomenda a todos a administrar bem o próprio tempo (3.1), a desfrutar das recompensas do seu trabalho (3.22), a buscar a sabedoria e conhecimento com equilíbrio (7.11,12) e a lembrar que Deus julgará todos os feitos do homem sem distinção (3.17, 11.9).
Então, simplesmente aproveitar a vida é não perder as oportunidades, curtir cada momento com boas companhias e muita diversão, investir tempo no que realmente é necessário e digno de investimento, desfrutar do próprio trabalho e, principalmente, temer ao Senhor.
Alguns podem achar o exemplo de Salomão; ou ainda que o Carpe Diem é mais um conceito hedonista; ou até mesmo ser influenciado pelo tradicionalismo eclesiástico, da igreja, que condicionou os cristãos a seguirem regras, muitas não bíblicas, mas humanas, para acharem o termo Carpe Diem muito perigoso. – “Ah! Isso pode levar as pessoas a fazerem o que quiserem!”. Mas, lembrem-se das recomendações do Sábio (“Por mais que um homem viva, deve desfrutar sua vida toda”) e das palavras do Prof. Keating (“tornem extraordinárias as suas vidas”).

ENTÃO, POR QUE APROVEITAR A VIDA?!
1.      Deus criou a Terra para o homem usufruir dela
“O Senhor Deus colocou o homem no jardim do Éden para cuidar dele e cultivá-lo” (Gn 2.13). Entende-se jardim do Éden como mundo. Tudo o que há na Terra é para que o homem possa desfrutar. Deus não criou o homem para a natureza, foi o inverso. Infelizmente, na queda do homem esse “desfrutar” foi substituído por “devastar” ou também por “preservar”. Essas duas distorções levam a dois opostos: extrair tudo o que a natureza pode contribuir para a riqueza humana ou defendê-la como um bem maior que o próprio homem.
Então, precisamos entender que a vasta riqueza natural serve para que o homem usufrua plenamente. Tudo o que a natureza fornece é direito nosso dado por Deus, mas não podemos extrair tudo sem reposição e/ou infraestrutura adequada. Deus criou a Terra para que o homem usufrua dela!
2.      Deus criou o homem como um ser relacional
“É melhor ter companhia do que estar sozinho, porque maior é a recompensa do trabalho de duas pessoas” (Ec 4.9). Nós vivemos cercados por pessoas: família, amigos, namorado (a), noivo (a), cônjuge, colegas, conhecidos etc. etc. etc. Cada pessoa requer a nossa atenção, respeito e amor. Entretanto, somos doutrinados a sermos individualistas.
Quando nos aplicamos ao individualismo, muitas vezes desprezamos as outras pessoas, afastamos as pessoas de nós e nos isolamos. Com isso, sofremos com a solidão, a depressão e a infelicidade.
Por que muitos relacionamentos, inclusive casamentos, acabam tão rápidos? Por que tantos amigos se tornam inimigos? Por que pais e filhos brigam? Por que Deus não é mais adorado pelo que Ele é e sim pelo que pode oferecer? Porque cada pessoa busca os seus próprios desejos e sonhos em detrimento de outrem! Desprezam aqueles que estão a sua volta e amam a se mesmo como único senhor. Mas não foi para isso que Deus nos criou. Jesus disse: “ame o Senhor, o seu Deus e semelhantemente o seu próximo como a ti mesmo” (Mc 12.30,31) e “amai aos vossos inimigos, e orai pelos que vos perseguem” (Mt 5.43). Precisamos entender que é uma necessidade nossa manter relacionamentos com as pessoas. Deus criou o homem para manter relacionamentos saudáveis.
3.      Deus é glorificado quando frutificamos
“Meu Pai é glorificado pelo fato de vocês darem muito fruto” (Jo 15.8). Vamos usar de silogismo: Glorificamos a Deus ao frutificar. Como frutificar?! Mantendo um relacionamento com Ele e alcançando as pessoas com o Evangelho do Reino. Como fazer isso?! Através do nosso testemunho. Como testemunhamos?! Sendo imitadores de Cristo como filhos amados. O que Jesus fez para ser imitado? Aproveitou as oportunidades da vida. Então, podemos dizer que Deus é glorificado quando aproveitamos as oportunidades da vida.
Jesus é o melhor exemplo de alguém que aproveitou bem o seu tempo. É só ver o que Ele fez em apenas três anos de ministério. Além disso, também deixa seu exemplo nos relacionamentos, no amor pelas pessoas, no uso da sabedoria, na dependência de Deus, na prática do bem e na disciplina. Então, se somos transformados na mesma imagem de Cristo, pelo Espírito do Senhor (2Co 3.18). Como mostramos esta transformação se não aproveitando as oportunidades? Precisamos entender que frutificar é aproveitar a vida e Deus é glorificado nisto.

E AGORA COMO APROVEITAR A VIDA?
1.      Entenda o porquê de aproveitar a vida
Entenda que Deus criou a Terra para que usufruamos plenamente, que Deus nos criou para se relacionar com Ele e com o próximo e que Deus é glorificado quando frutificamos e aproveitamos as oportunidades da vida. Essa primeira dica ajudará a conhecer os nossos direitos como seres humanos e o nosso dever como criatura e filho de Deus. Como já tratamos disso anteriormente, não vou me prender mais aos porquês.
2.      Mantenha relacionamentos saudáveis
“Cada um de nós deve agradar ao seu próximo para o bem dele, a fim de edificá-lo” (Rm 15.2). Além do que já conversamos anteriormente sobre relacionamentos saudáveis, quero acrescentar a seguinte conclusão: um relacionamento é saudável quando na comunhão há edificação, isto é, quando as pessoas inclusas na relação contribuem para o crescimento mutuo.
Vejo que existem muitos namoros e amizades cheios de ciúmes, onde um não gosta de dividir o (a) namorado (a) e amigo (a) com outros para ter relacionamentos fraternos. Lembro que ciúme é obra da carne como relatado em Gálatas 5! Tem um perigo muito grande nesse tipo de relacionamento, pois um tenta manter o parceiro isolado da família, amigos e irmãos, levando-o para uma “ilha deserta”, onde somente estarão os dois. Nesta ocorrência o falso amante ou amigo põe as “garrinhas” de fora e maltrata o indefeso. Se a pessoa está envolvida profundamente ou é fraca para suportar as pressões, por se encontrar sozinha, sofre demais na mão do algoz.
Por isso, dou essa segunda dica para aproveitar a vida: mantenha relacionamentos saudáveis e se afaste de qualquer pessoa que tente isolar você daqueles que o amam. Essa pessoa é extremamente perigosa!
3.      Busque a sabedoria e o conhecimento com equilíbrio
“Como é feliz o homem que acha a sabedoria, o homem que obtém entendimento, pois a sabedoria é mais proveitosa do que a prata e rende mais do que o ouro” (Pv 3.13,14). “Por isso me esforcei para compreender a sabedoria, bem como a loucura e a insensatez, mas aprendi que isso também é correr atrás do vento. Pois quanto maior a sabedoria, maior o sofrimento; e quanto maior o conhecimento, maior o desgosto.” (Ec 1.17,18).
No primeiro texto Salomão nos estimula a buscar a sabedoria e o conhecimento para alcançarmos a felicidade. Já no segundo ele diz que o esforço dele para compreender a sabedoria, a loucura e a insensatez é inútil e que quanto mais sabedoria e conhecimento maior o sofrimento e o desgosto. Isso num é uma contradição, não?! É claro que não! Salomão está sendo sincero e amigo!
Realmente a pessoa sábia faz diferença na sociedade e consegue aproveitar melhor a vida, mas o Sábio queria ir além da sabedoria, ele queria compreendê-la. Isso não é possível, pois só Deus a compreende. Ele também buscou aumentar a sabedoria e o conhecimento que possuía, mas isso também aumentou a sua responsabilidade. Mais pessoas o procuravam para solucionar as suas questões. O que fez com que a sua sabedoria se tornasse, até certo ponto, um peso para Salomão. Quem trabalha bem se sentindo pesado e sobrecarregado? Creio que ninguém!
Então, a terceira dica é que em vez de deixar a sabedoria e o conhecimento nos envolverem, devemos buscá-las com equilíbrio para gozar uma vida como Deus planejou para nós.
4.      Aprenda a administrar seu tempo
“Para tudo há uma ocasião certa; há um tempo certo para cada propósito debaixo do céu” (Ec 3.1). Todo o capítulo 3 de Eclesiastes informa que Deus determinou um período certo para cada etapa no ciclo da vida, ou seja, o Senhor fez o tempo no tempo certo para vivermos e aproveitarmos cada momento importante. Com o pecado as coisas desandaram e o homem aprendeu a incluir no seu cotidiano coisas sem importância e transformá-las em prioridade. Nisso perdemos o controle do tempo.
Quantos já disseram ou já ouviram: “não tenho tempo para isso”? Na verdade temos esse mal costume, mas o que precisamos realmente é aprender a administrar o nosso tempo. Precisamos nos conscientizar que as 24hs dada por Deus é o suficiente para fazermos o que é necessário. Organizar a nossa agenda e as nossas prioridades seria o primeiro passo para uma administração eficiente. Esta é a quarta dica para Aproveitar a Vida.
5.      Priorize o que é realmente prioridade
“Busquem, pois, em primeiro lugar o Reino de Deus e a sua justiça, e todas essas coisas lhes serão acrescentadas” (Mt 6.33). Há uma compreensão antiga de que quando a Bíblia fala “buscar em primeiro lugar o reino de Deus” quer dizer que devemos colocar Deus em primeiro lugar em nossas vidas. Isso é correto! Dentro disso há uma interpretação que nos faz pensar que devemos construir uma hierarquia entre Deus, família, amigos, trabalho, estudos, igreja, ministério e outras áreas necessárias. Isso é errado!
Quando construímos uma hierarquia passamos a tratar as diversas áreas da vida separadamente. Nisso as tarefas que faço para Deus estão separadas das atividades familiares, fraternas, laborais, acadêmicas e eclesiásticas. Assim como as familiares das fraternas etc. etc. etc. Então, a compreensão correta é que Deus não quer que construamos uma hierarquia, onde Ele é o primeiro colocado, e sim que Ele esteja incluído em todos os processos vitais.
A partir daí quem priorizar a Deus irá colocá-lo em todos os aspectos da vida: na família, nas amizades, no trabalho, nos estudos e na igreja. Aqui é importante pensar que a vida não é cheia de “caixinhas” independentes umas das outras, mas, na verdade, é um emaranhado de fios interligados, onde cada fator depende do outro. Não pense no seu trabalho, sem que ele não esteja ligado à sua família. Nem pense na sua família, no seu trabalho, nos seus estudos, nas suas amizades sem que Deus se inclua nessas áreas. Então, a quinta dica é justamente esta: priorize o que é realmente prioridade, Deus.
6.      Tema ao Senhor e seja obediente a Ele
“Meu filho, não se esqueça da minha lei, mas guarde no coração os meus mandamentos, pois eles prolongarão a sua vida por muitos anos e lhe darão prosperidade e paz.” (Pv 3.1,2). “Agora que já se ouviu tudo, aqui está a conclusão: Tema a Deus e obedeça aos seus mandamentos, porque isso é o essencial para o homem.” (Ec 12.13). Nestas e em outras passagens bíblicas sempre vemos: tema a Deus e O obedeça. O Senhor, através dos seus profetas e poetas, como Davi e Salomão, ressalta esta temática de obediência constantemente na Bíblia.
Na definição de temor vemos que o Aurélio traz “ato ou efeito de temer; medo; susto; e sentimento de reverência ou de respeito: temor a Deus”. Este mesmo dicionário faz a ressalva que temor é reverência ou respeito a Deus: “temor a Deus”. E para o conceito de obediência extraio o seguinte: “submisso à vontade de alguém; docilidade; e sujeição, dependência”. Com isso, quando falo em ‘tema ao Senhor e seja obediente a Ele’ quero dizer o seguinte: tenha respeito pelo Senhor e seja submisso à vontade Dele. E não digo isso simplesmente pelo fato de que é a lei e ponto. Não! Há uma consequência para isso.
Como o homem é interesseiro por natureza tem que haver um ganho. Então esse é o ganho: ‘seus dias serão prolongados e você prosperará’. Mas também há outra verdade: faz parte da essência do homem esta necessidade de temor e obediência a Deus. É por isso que vemos tantas pessoas reverenciando alguma entidade (mesmo que seja ela mesma). Então, nisto está a sexta dica para aproveitar a vida: Tema ao Senhor e seja obediente a Ele.
7.      Abandone o velho homem de vez
“Quanto à antiga maneira de viver, vocês foram ensinados a despir-se do velho homem, que se corrompe por desejos enganosos, a serem renovados no modo de pensar e a revestir-se do novo homem, criado para ser semelhante a Deus em justiça e em santidade provenientes da verdade.” (Ef 4.22-24).
O velho homem é aquele cara com inclinação para a prostituição, a impureza, a paixão, o desejo mau e a avareza (que é idolatria), e também preso ao ódio, à raiva, à maldade, à difamação, ao palavrão e à mentira (Cl 3.5,8,9). Este é aquela criatura para quem Jesus Cristo veio nos libertar. As pessoas que entendem e aceitam que são filhas de Deus e renovadas e transformadas em Cristo devem abandonar esse tal de velho homem. Então, esta é a sete, a última e a mais desafiante dica: abandone o velho homem de vez para aproveitar a sua vida.

Por fim, diante de toda essa compreensão de Carpe Diem e dessas dicas para aproveitar a vida, não tem mais como aceitar o conceito de que aproveitar é fazer o que quer da vida. O Carpe Diem orientado por Salomão em Eclesiastes nada mais é do que viva em todos os momentos da vida gozando tudo com sabedoria e temor a Deus, entenda para que o Criador o fez para isso, valorize o que e quem você tem, administre seu tempo, priorize o que realmente é necessário e seja aquele que realmente o Senhor criou, um novo homem em Cristo. Nisso tudo você verá que os seus dias serão melhores para sempre. Amém!
Que Deus nos dê sabedoria para aproveitar a vida! Carpe Diem!!!

Leia o texto em inglês: http://jmarcosbezerra.blogspot.com.br/2014/04/carpe-diem-enjoy-life.html

Comentários

wilmar disse…
Muito bom o texto. Você está de parabéns. Que Deus continue te usando para levar as boas novas. Parabéns pelo estudo!

wilmar resende
Kelyson Resende disse…
Excelente! Muito bem trabalhado. Parabéns!
Kécia disse…
Belíssimo texto!
Muito bom msm!Edificante e esclarecedor.Que o SENHOR esteja sempre contigo e tua família!

Postagens mais visitadas deste blog

SÓ QUEM PODE ME JULGAR É DEUS! SERÁ?!

CADMIEL: UMA HISTÓRIA SEM FIM

PRECISAMOS FALAR DE SUICÍDIO NA ADOLESCÊNCIA?