QUAIS SÃO OS SEUS FRUTOS?

Por: João Marcos Bezerra
Textos Base: Jo 15.1-16

Qual a definição de fruto? “1. Produto da terra para sustento e benefício do homem; 2. resultado, conseqüência” (Aurélio Séc. XXI). As opções se enquadram no perfil do texto da “Videira Verdadeira”? Com certeza.
Este trecho bíblico deixa bem claro que frutificar está diretamente ligado a um relacionamento com Deus. E é a partir Dele que podemos produzir bons frutos – resultados – para benefício do homem e para a Sua glória (v.8). Mas como construir uma relação com o Senhor?
Podemos determinar que a oração é a única forma do homem se comunicar com Deus. Já Ele pode se comunicar conosco por meio da própria oração, da Sua Palavra – a Bíblia, das circunstâncias e da criação – revelação geral. E a construção de uma relação com o Senhor se dá através dessa comunicação.
Na alegoria da videira entendemos que Jesus é o tronco da árvore e os Seus servos são os ramos. Também podemos relacionar isto a Igreja do Senhor como corpo e nós como membros. Se um ramo ou membro está defeituoso ou com problemas todo o corpo e a árvore sofrem. Nesta porque diminui a oxigenação que depende da folhagem. E se um ramo está doente não tem folhas ou elas estão secas. Para que a videira não seja prejudicada o Senhor corta o ramo seco. Com isso, outro ramo frondoso pode nascer naquele lugar.
O ramo seca quando não há passagem da seiva. Esta é causada pela desconexão com a árvore ou por ataque de algum fungo ou outro tipo de doença. Com isso, percebe-se mais claramente a relação do ramo com o cristão e da videira com Jesus Cristo, pois quando estamos conectados ao Senhor, através da comunicação, recebemos todos os nutrientes necessários para viver de forma frondosa e frutífera.
Uma vida de oração, de leitura da Palavra, de assimilação dos princípios bíblicos e aplicação deles (v. 10) é que determina o quanto Deus está interferindo em nossa vida e quantos frutos renderemos a Ele.
Como está sua vida de oração? Quantas vezes você ler a Bíblia na semana? Quanto você tem guardado os seus mandamentos? E o quanto você tem dedicado a sua vida a Ele?
Aprendi algo muito especial: “Deus não quer ter apenas o primeiro lugar na sua vida (Mt 6.33), mas Ele quer fazer parte de toda ela”. Isso é uma verdade absoluta. O Senhor não quer apenas ter destaque na conduta na igreja ou ser notado no conhecimento do homem. Ele quer que as pessoas percebam uma mudança na vida daquele que diz crer em Jesus como o Filho de Deus e como seu Senhor e Salvador. Ele deseja transformar o mundo através dos Seus filhos.
É! Às vezes fazemos referência a fruto apenas como ganhar almas para Cristo. Mas como fazer isso se não há testemunho? Se as pessoas não vêem o Filho do Homem revelado em nossa vida? Se não enxergam nenhuma mudança após a conversão?
Muitos temos nos enganado. Achamos que estamos na igreja e por isso somos santificados. Pensamos que o conhecimento bíblico vai garantir que conheçamos a Deus e tenhamos intimidade com Ele. Ledo engano!
Agora, isso é quando estudamos a Bíblia. Porque atualmente nem a isso prestamos ao trabalho. Tentamos conhecer o Senhor apenas com experiências e pregações (e olhe lá!). E em várias oportunidades somos enganados e enganamos, tanto a nós mesmos quanto aos outros, com filosofias vãs, testemunho fraco e discussões sem propósito. Quanta ilusão! Por isso, os membros de igreja tem se aproximado mais e mais das coisas do mundo.
Quantos vivem em baladas e festinhas; são viciados, fornicadores e prostitutos (as); andam e se vestem de forma promiscua; desrespeitam os pais, amigos e líderes, sejam eclesiásticos, acadêmicos ou políticos; promovem a violência verbal e física? Inúmeros. Quantos têm uma conduta ilibada, sem mancha, pura? Poucos. Isto é triste!
É fácil dizer “eu amo a Deus”, mas não é tão fácil seguir os passos de Jesus. Porque este veio ao mundo não só para nos salvar e “nos purificar de toda a injustiça” (I Jo 1.9), mas também para mostrar como o servo do Todo Poderoso deve viver neste mundo tenebroso. É como imitadores de Cristo que devemos agir (I Co 11.1; Ef 5.1; Hb 6.12). “O que Jesus faria?” – é comum ouvir. Você tem vivido como um imitador Dele?
Gosto de ver o modelo de Cristo a ser seguido nas características do Fruto do Espírito (Gl 5.22,23) e da “Sabedoria que vem do alto” (Tg 3.17). Desta forma, o amor, a alegria, a paz, a paciência, a suavidade, a bondade, a fidelidade, a mansidão, o domínio próprio, a pureza, a moderação ou prudência, o ser tratável, cheio de misericórdia e de bons frutos, sem parcialidade e sem hipocrisia são as características que devem preencher a mente e o coração do verdadeiro filho de Deus e testemunha de Cristo. É assim que você tem vivido?
Se você não vive assim mude logo, porque você não está expressando uma verdadeira comunhão com Deus. Você aparenta ser um galho seco, sem a seiva da vide e preste a ser cortado para que outro ramo cresça em seu lugar. É isso que você quer? Viver distante do Senhor?
Eu não quero. Por isso, busco viver da maneira que o Senhor deseja. Sei que não consigo viver assim plenamente e que não sou perfeito e nem serei, mas continuarei a caminhada a “Cidade Gloriosa”, permitindo que a seiva divina circule em minha vida para que eu dê “frutos que sejam eternos”.
Quais são os seus frutos? Bons ou maus? Para a vida ou para a morte? Sagrados ou mundanos? Pense nisso, pois Deus quer fazer grande obra em sua vida e o tornar como um galho frondoso e frutífero. Deus o abençoe e toque em sua vida plenamente!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

CADMIEL: UMA HISTÓRIA SEM FIM

SÓ QUEM PODE ME JULGAR É DEUS! SERÁ?!

PRECISAMOS FALAR DE SUICÍDIO NA ADOLESCÊNCIA?