TEMPOS TERRÍVEIS


Por João Marcos Bezerra
Texto Base: 2Tm 3.1-5 (versão NVI)

No último dia 27 o Brasil acordou estupefato com a notícia de que mais de duzentas pessoas morreram no incêndio de uma boate em Santa Maria/RS. A comoção foi geral. Muitas pessoas foram até a cidade para ajudar na assistência aos familiares. Outros prestaram e ainda prestam solidariedade aos que perderam parentes e amigos. O governo federal decretou luto oficial. Diversos eventos foram adiados por causa deste acontecido. Programas de TV só veicularam informações sobre isto. A solidariedade se tornou visível em toda a população. Que Deus conceda consolo aos que tiveram perda neste momento de dor!
Infelizmente, atualmente só é possível ver uma empatia entre pares em momentos como esse. Egoísmo, avareza, arrogância, calúnia, traição, crueldade, desobediência, ingratidão, falta de domínio próprio, hedonismo, vandalismo e muitas outras mazelas humanas são os causadores de toda a violência social vista. Quem não ouviu ou viu infrações e atentados a integridade física ou material de alguém nas últimas horas? É só ligar o jornal e ver o quanto a humanidade está se destruindo por suas próprias deficiências morais.
A alegação de desejo, vontade e necessidade são os principais argumentos. “Eu fiz porque estava com vontade de fazer!”. “Eu a violentei porque ela me seduziu e quando fui procurá-la, ela me rejeitou!”. Aonde nós vamos chegar!? O homem não tem mais domínio sobre si. As pessoas perderam o seu valor. O “não” não é mais tolerável. A humanidade funciona como um coletivo de sanguessugas, onde cada uma quer a sua porção de sangue diária sem se importar com a vida do outro.
“Saiba disto: nos últimos dias sobrevirão tempos terríveis” (v.1) – exortou o apóstolo Paulo. “E, por se multiplicar a iniqüidade, o amor se esfriará de quase todos” (Mt 24.12) – profetizou Jesus. Diante desses e outros avisos bíblicos, podemos constatar que realmente já vivemos esses tempos terríveis. Boa parte da população mundial age sempre em busca do benefício próprio, levando a cortes de investimento na segurança de casas de espetáculos, mesmo tendo condições de fazê-lo, como foi o caso desta boate incendiada; e, a produzir produtos de má qualidade (falo de material, musical, dramaturgia teatral e televisiva, literária etc.) que prejudica física, psicológica e emocionalmente o consumidor. E ainda menciono, o fato de que o povo reclama dos seus governantes e age com a mesma corrupção. Isto é uma vergonha!
Precisamos retornar imediatamente ao princípio dos tempos, quando Deus nos criou a sua “imagem e semelhança” (Gn 1.26). Precisamos nos deixar envolver pelo amor de Cristo, que se entregou para se tornar maldito em nosso lugar (Gl 3.13). Precisamos amar as pessoas como a nós mesmos (Mc 12.31), caso queiramos que o mundo mude. Se quisermos sobreviver nesses tempos terríveis, precisamos permanecer no que aprendemos do Senhor e manter nossas convicções éticas, morais e bíblicas. Sem a transformação de Cristo em nossas vidas, não conseguiremos transformar o mundo (Rm 12.2) de jeito nenhum. Que Deus tenha misericórdia de nós!

“Pra conseguir mudar o mundo tem que ser com a mão no arado.”
(Fruto Sagrado)

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

CADMIEL: UMA HISTÓRIA SEM FIM

SÓ QUEM PODE ME JULGAR É DEUS! SERÁ?!

PRECISAMOS FALAR DE SUICÍDIO NA ADOLESCÊNCIA?