PARA QUE VOCÊ EXISTE


Por João Marcos Bezerra
Texto Base: Mt 22.34-40; 28.18-20 (versões NTLH e ARA)

Durante alguns anos aprendi um bocado sobre o propósito da vida. Quando li o livro “Uma Vida com Propósito” de Rick Warren tive a oportunidade de conhecer cinco propósitos de Deus para nós e aprender o significado de cada um deles. Ao ler o livro “Ministério de Jovens com Propósito” de Doug Fields recentemente me deparei com uma frase que dizia mais ou menos assim: “para que seu ministério existe?”. A partir daí trouxe esse questionamento para mim: “para que eu existo?”. Então, juntando as duas peças pensei: “por que não escrever algo sobre isso?”. Daí saiu isso que vamos compartilhar agora. Quero que você pense nesses cinco pontos como a resposta para a pergunta título: Para que você existe?
O primeiro propósito que quero compartilhar é o serviço. Jesus disse: “Ame os outros como você ama a você mesmo” (Mt 22.39). Qual a melhor forma de mostrar amor? Servindo! “Quem quiser ser importante, que sirva os outros” (Mc 10.43b) é outro ensinamento do Mestre. É servindo que você será importante. É servindo que você demonstrará amor a outras pessoas.
Eliseu é o personagem da Bíblia em quem mais vejo este propósito. Fora o próprio Cristo, é claro! Esse profeta ajudou uma viúva pobre a conseguir azeite para vender, quitar uma dívida e não correr mais o risco de perder seus filhos como escravos (1Rs 4.1-7). Também retribuiu o abrigo que uma estéril sunamita deu a ele com um filho, sem ela pedir (v.8-37). E ainda, curou o general sírio Naamã da lepra, recusando uma grande oferta que este havia levado para o homem de Deus (5.1-19). Tudo isso para ajudar as pessoas independentemente de quem elas eram. Esse é um dos motivos pela qual Deus nos deu a vida: amar e servir as pessoas.
O segundo propósito é a união com as pessoas que temem a Deus, também chamado de comunhão. Normalmente o serviço que você presta aos outros vai torná-lo mais próximo delas. Isso é gratificante! Se os receptores do seu amor são tementes ao Altíssimo, melhor ainda. “Não deixemos de congregar-nos, como é de costume de alguns…” (Hb 10.25a) é uma recomendação bíblica. E ainda há um alerta: “Melhor serem dois do que um, porque têm melhor paga do seu trabalho… Se alguém quiser prevalecer contra um, os dois lhe resistirão.” (Ec 4.9,12a). Quando você esta em comunhão, unido a outras pessoas, fica mais forte e resistente aos ataques inimigos.
Um exemplo de comunhão está nos irmãos da igreja primitiva, pois eles diariamente estavam juntos, intercedendo uns pelos outros, ajudando financeiramente os mais pobres e ainda havia incentivo mutuo para permanecer na fé no Criador e seu Filho Jesus, o Senhor e Salvador (At 2.42-47). Atualmente, aprendemos muito a vivermos sozinhos, curtindo a nossa individualidade. Se continuarmos assim tendemos a derrota, porque estaremos sozinhos na caminhada e sujeitos as emboscadas do inimigo. Cuidado! Não ande sozinho nesse mundo tenebroso!
O terceiro propósito é a adoração. “Ame o Senhor, seu Deus, com todo o coração, com toda a alma e com toda a mente” (Mt 22.37). Este é o principal objetivo das nossas vidas: honrar, glorificar e adorar ao único Deus Soberano, Jeová. A Ele devemos apresentar o nosso corpo em sacrifício vivo, santo e agradável (Rm 12.1), devemos glorificá-lo em tudo o que fazemos (1Co 10.31) e refletir esse amor divino no primeiro propósito (1Jo 4.10,11).
Uma mulher, chamada Maria, que não era a mãe terrena de Jesus, destaca-se como um grande exemplo de adoração. Ela se dedicava tanto ao mestre que durante a primeira visita deste a sua casa se assentou para ouvir os ensinamentos do convidado (Lc 10.39). Além disso, foi capaz de lavar os pés do Senhor com perfume e enxugá-los com os próprios cabelos (Jo 11.2). Isso é um modelo de devoção e dedicação que devemos absorver e aplicar a Deus. Adoração é um estilo de vida; é a aplicação diária dos ensinamentos do Criador; é colocá-Lo em primeiro lugar em todas as áreas da nossa existência. Deus merece uma retribuição do que fez e faz por nós continuamente. Dedique-se a Ele!
O penúltimo propósito é a difusão da Palavra de Deus, a proclamação das Boas Novas de Jesus Cristo. Isso também é uma prova de amor ao próximo, falar da graça e do amor do Senhor. “Vão a todos os povos do mundo e façam com que sejam meus seguidores” (Mt 28.19a) e “Vocês foram escolhidos para anunciar os atos poderosos de Deus, que os chamou da escuridão para a sua maravilhosa luz” (1Pe 2.9b) são dois versos chaves para este desígnio. Devemos levar as outras pessoas a oportunidade de conhecer essa mensagem de esperança.
Filipe Dc. foi alguém que levou esse projeto a sério. Durante a primeira perseguição da igreja cristã, ele se transferiu para Samaria e fez com que este povo não só ouvisse as Boas Novas, mas fosse transformado por ela (At 8.4-14). Também foi através deste personagem que o povo etíope teve a chance de conhecer esta mensagem, através do servo da rainha Candace (vs.26-40). Através de Filipe podemos aprender o efeito na nossa vida e na dos outros que a Palavra do Senhor causa. Não podemos nos calar e ficar de fora daquilo que Deus está fazendo no mundo. Vamos proclamar!
Por fim, o último propósito é a orientação ou edificação. Não adianta servir, comungar, adorar e difundir algo que a gente não conhece ou não vive. Seremos hipócritas e mentirosos se assim procedermos. Devemos ensinar os outros a obedecer a tudo que Jesus nos ordena (Mt 28.20a). Como faremos isso se não conhecemos e obedecemos o seu ensino? “O meu povo está sendo destruído, porque lhe falta o conhecimento” ou “O meu povo não quer saber de mim e por isso está sendo destruído” (Os 4.6 ARA e NTLH) é o mesmo verso em linguagem diferente para representar que se o povo de Deus não buscar o conhecimento da Sua Palavra não prevalecerá diante das armadilhas.
Neste quesito Paulo deixa o maior legado. Foi através das suas cartas que a doutrina de Cristo chegou ao conhecimento da igreja. Jesus ensinou, mas Paulo interpretou os ensinos e os repassou para todos nós através da doutrina. Outros apóstolos, como Pedro, João e Tiago, também contribuíram para isso. Todavia, as cartas paulinas deixaram um leque bem maior à igreja. Da mesma forma que eles, devemos proceder quanto ao ensino cristão apostólico. Lembremos que “toda a escritura é inspirada por Deus e útil para o ensino, para a repreensão, para a correção, para a educação na justiça” (2Tm 3.16). Então, utilizemos a Bíblia para a edificação do povo de Deus e vejamos o quanto sólido e forte ele será no mundo.
Não sei se você percebeu cinco letras em negrito no meio do texto. S de servir, U de união, A de adoração, D de difusão e O de orientação formam o acróstico SUADO. Conforme um amigo meu, Eduardo Oliveira, falou, vai ser suado andar nesse caminho, mas servir e estar unido a outros, adorar ao único Deus, difundir e orientar na Palavra são os cinco principais motivos da nossa existência.
Então, quando perguntarem a você para que existe responda: para servir as pessoas, estar em comunhão com elas, adorar ao Deus Criador dos céus e da terra, transmitir o amor desse Deus através das Boas Novas e ensinar os outros a andarem no caminho de Cristo. Assim, você pode ficar tranquilo. Independentemente de quem você é e como você está, você pode ter um relacionamento com o Senhor, ser transformado por Ele e cumprir os cinco propósito divinos para nós. Seja um agente de transformação no mundo (Rm 12.2). Deus abençoe!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

CADMIEL: UMA HISTÓRIA SEM FIM

SÓ QUEM PODE ME JULGAR É DEUS! SERÁ?!

FUSÃO NUCLEAR