PRESENTE DE GRAÇA

Por: João Marcos Bezerra
Texto Base: Ef. 2.1-10



“ Certo dia a humanidade foi infectada por um vírus muito contagioso, que rapidamente se proliferou, e todos tiveram que fazer exames para saber quem havia se contaminado e qual o grau de infecção.
Numa pequena cidade os médicos encontram um menino que, além de não haver se contaminado de forma alguma, o seu sangue era completamente imune ao vírus. E decidiram realizar diversos procedimentos no garoto para experimentá-lo e fazer antídotos para as pessoas. Para isso, era necessária a autorização do seu pai.
Que maravilha, o seu filho seria um herói! Todavia, o menino deveria morrer para que todo o seu sangue fosse usado na fabricação da cura.
Agora, imagine a dor e o dilema do pai: dar o seu filho para salvar a humanidade ou deixar que o vírus contaminasse a todos… ” (baseado em contos de email)

Conhecemos esta história e podemos dizer que o pecado é esse vírus e tem infectado todos os homens desde a queda no Jardim. É por causa dele que a criação geme como em dores de parto (Rm 8.22) e a humanidade tem caminhado para a morte (“Porque o salário do pecado é morte” – Rm 6.23).
A violência faz parte do nosso cotidiano e tem tomado, cada vez mais, as manchetes de jornais. As guerras e conflitos bélicos se tornaram algo comum em algumas localidades. Fora os conflitos familiares e relacionais. Tudo isso é fruto da natureza pecaminosa do homem.
Entretanto, Deus deu o Seu único filho em favor da humanidade (Jo 3.16) para ser preso, torturado e crucificado, no intuito de lavar com o Seu sangue e purificar do pecado a todo aquele que crer Nele. Mas, o Pai, com o Seu imenso poder, não deixou que o Seu Filho ficasse morto e o ressurgiu da sepultura para que trouxesse, além de purificação, liberdade e vida eterna.
Com isso, o homem não está mais sujeito ao pecado, somente enquanto não se submeter a graça e a misericórdia de Deus e não reconhecer que Jesus Cristo é o Filho do Altíssimo e Senhor e Salvador da sua vida.
Enquanto nós não recebermos a vida que Deus nos dá, estaremos submetidos ao pecado, entregues a morte e distante de Deus. Então, não perca tempo “porque pela graça nós somos salvos, por meio da fé; e isto não vem de nós mesmos, mas é dom de Deus; não de obras, para que não nos gloriemos”.
Não tem obra nenhuma que consiga compensar o pecado cometido. Para isso, façamos o seguinte gráfico imaginário: duas escalas, uma de erros cometidos e outra de boas obras; cada erro e cada obra é um ponto ou grau na sua respectiva escala e deve ser marcada num intervalo de um dia. Após fazer a marcação diária, diminua um ou alguns erros, que é o pecado, a cada boa obra realizada e veja se é possível eliminar todos os pecados. Isso é impossível!
Por isso, a Bíblia escreve que é somente pela graça de Deus que podemos ser salvos através de Jesus Cristo. E não tem outra teoria no mundo capaz de superar essa verdade absoluta: “estando nós mortos em nossos delitos, Deus nos deu vida juntamente com Cristo” (v. 6).
ISSO É GRAÇA: presente concedido por Deus ao homem sem que este mereça; “favor ou mercê concedida por Deus a uma pessoa” (Aurélio). Deus nos dá a salvação sem que mereçamos. Quem somos nós para isso? Então, entregue-se e receba este PRESENTE DE GRAÇA.

Cristo já ressuscitou, Aleluia / Sobre a morte triunfou, Aleluia / Tudo consumado está, Aleluia / Salvação aos homens dá, Aleluia / Uma vez na cruz sofreu, Aleluia / Só por nós Jesus morreu, Aleluia / Mas agora vivo está, Aleluia / Para sempre reinará, Aleluia / A promessa se cumpriu, cristo já nos redimiu; / Pois a morte quis sofrer E aos homens socorrer, Aleluia. (hino Ressurgiu de Charles Wesley)

Comentários

Servo de Cristo disse…
Maravilhoso texto...infelizmente são poucos que reconhecem o Crito como salvador! Mas cremos que um dia todo joelho se dobrará, assim como diz o hino "Força e Vitória".

Fica com a paz do Senhor irmão!

Obs: também tenho blog viu?! é o servodejeova.blogspot.com.br, se puder acessar e me ajudar com seus comentários, serei grato.

Postagens mais visitadas deste blog

SÓ QUEM PODE ME JULGAR É DEUS! SERÁ?!

CADMIEL: UMA HISTÓRIA SEM FIM

PRECISAMOS FALAR DE SUICÍDIO NA ADOLESCÊNCIA?