A HISTÓRIA DE UM INGRATO

Por João Marcos Bezerra
Texto Base: Lc 17.11-19
No texto de Lucas 17 encontramos o momento da cura dos dez leprosos, que tem como principal fato a gratidão de apenas um (detalhe que este era samaritano). Este episódio nos leva a refletir sobre as nossas ações de graças a Deus pelo que tem feito em nossas vidas.
Podemos imaginar um grupo de pessoas necessitadas de uma determinada benção buscando o Senhor que pode atender a todas as necessidades. Todos do grupo recebem a benção, mas somente dez por cento se lembra de agradecer pelo que recebeu. Isto é o que aborda este texto: Gratidão!
Não é difícil, se pararmos para analisar a nossa trajetória, vários, diversos e inúmeros momentos em que buscamos ao Pai com uma petição. Também não é difícil lembrar outras inúmeras vezes em que as petições foram atendidas e muitas vezes foram além do que pensávamos e desejávamos, pois Deus sempre supera as expectativas (Ef 3.20,21). Porém, em outras diversas vezes nos esquecemos de voltar ao Senhor para agradecer pela concessão feita. Por isso, na verdade este texto relata não apenas a história de nove leprosos ingratos, mas a nossa história diária diante do relacionamento com Deus.
Em vários momentos de nossas vidas traçamos metas e objetivos e é nesse ponto em que muitas vezes erramos. Primeiro, não buscamos saber a vontade de Deus para nós. Colocamos os nossos desejos no papel ou na mente e caminhamos a caça deles, como se fosse algo bom para nós. Nessa trajetória podemos encontrar glória ou frustração; sucesso ou fracasso; vitória ou derrota; alegria ou tristeza; e na maior parte dela, ingratidão.
Mesmo quando não buscamos a vontade de Deus, Ele pode nos abençoar e nos fazer gozar de coisas maravilhosas, de sucesso e de fama. Entretanto, não há reconhecimento à Ele. Não voltamos até onde está Jesus Cristo, o filho de Deus, para glorificá-lo, pelo contrário nos mantemos afastados da Sua Glória. Esta é a TRISTE HISTÓRIA DOS INGRATOS!
Segundo, não somos gratos em tudo, conforme I Ts 5.18: “Em tudo dai graças, porque esta é a vontade de Deus em Cristo Jesus para convosco”, isto é, em todas as circunstâncias (versão da Bíblia Católica), em todos os momentos, particularidades ou situações devemos expressar gratidão ao Criador. Isso é fato raro em nosso costume, pois se não somos gratos pelos sucessos alcançados, muito menos seremos pelos “fracassos”.
Neste momento (em janeiro) anualmente sai o resultado do vestibular. Quando somos aprovados, se lembrarmos do Senhor, agradecemos a Ele e comemoramos; se não lembrarmos, apenas comemoramos e festejamos com a família e os amigos, deixando-O de lado. Quando não somos aprovados, aí é que não há gratidão a Deus, nem sequer um “seja feita a Tua vontade Senhor”.
Em alguns casos choramos e lamentamos. Não nos voltamos ao Pai pedindo a Sua orientação para a caminhada. Apenas nos levantamos, sem pedi-lo ajuda, tentamos limpar o pó da decepção, sem pedi-lo ajuda, e traçamos novas metas e novos objetivos para os dias vindouros, sem pedi-lo ajuda. E quando fracassarmos novamente acontecerá tudo de novo. Isso se torna um ciclo natural. Esta é a TRISTE HISTÓRIA DOS INGRATOS!
É importante lembrar que “Os meus pensamentos não são os vossos pensamentos, nem os vossos caminhos, os meus caminhos, diz o Senhor, porque, assim como os céus são mais altos do que a terra, assim são os meus caminhos mais altos do que os vossos caminhos, e os meus pensamentos, mais altos do que os vossos pensamentos.” (Is 55.8,9), isto é, Deus é que tem o poder de restaurar o pensamento e a vida do homem. Ele sabe o que é melhor para nós e faz muito mais do que pedimos ou pensamos (Ef 3.20,21).
Por isso, iniciar os projetos da vida colocando Deus à frente, agradecer a Deus em todas as circunstâncias, apesar de algumas tribulações (Tg 1.2,3), e esperar e deixar que Ele faça aquilo que deseja em nós é a FELIZ HISTÓRIA DO GRATO.
E por fim, quando lermos o episódio dos dez leprosos não discriminemos os nove que não voltaram para agradecer a Jesus, pois estes somos nós. Em muitos momentos da nossa vida somos iguais aos noves leprosos ingratos. Então, olhemos para eles pedindo misericórdia por nós mesmos para que o Senhor pelo menos mude A HISTÓRIA DE UM INGRATO.
Que o Senhor nos abençoe a cada dia e nos faça transbordar de gratidão!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

SÓ QUEM PODE ME JULGAR É DEUS! SERÁ?!

CADMIEL: UMA HISTÓRIA SEM FIM

PRECISAMOS FALAR DE SUICÍDIO NA ADOLESCÊNCIA?