PROPÓSITO DA VIDA

Por João Marcos Bezerra
(Baseado no Livro “Uma Vida com Propósito” de Rick Warren)

Antes de iniciar é necessário questionar sobre ‘Qual o propósito da vida?’, ‘Em quem encontramos o nosso Propósito?’. [Pare um pouco e reflita antes de continuar]
No estudo das ciências voltadas para a “Criação do Homem” são feitas várias teorias que defendem das mais ridículas à mais coerente tese sobre esse tema. Dentre elas encontramos uma onde relata que o ser vivo surgiu a partir de uma reação química entre partículas e evoluiu em várias espécies.
Outra teoria vem da idéia de que as incontáveis espécies viventes que existem surgiram por meio de uma evolução de bactérias extraterrestres, vindas em meteoritos quando a Terra ainda não tinha nada.
E ainda, a mais aceita, apesar de algumas contestações, é a do Criacionismo, onde o Deus Criador dos céus e da terra transforma o nada em toda essa obra bela e perfeita. Em Gn 1.1,2 relata: “No princípio, criou Deus os céus e a terra. A terra, porém, estava sem forma e vazia; havia trevas sobre a face do abismo, e o Espírito de Deus pairava por sobre as águas”.
Apesar disso tudo, nenhuma outra teoria, apesar de “explicar”, ou melhor, tentar explicar a criação do mundo, não conseguiu esclarecer qual o propósito de viver, qual o objetivo, qual o motivo da nossa criação. Segundo Bertrand Russell, um ateu: “A menos que se admita a existência de Deus a questão que se refere ao propósito para a vida não tem sentido”.
As pessoas visam como seu propósito as realizações pessoais e família, pois normalmente são direcionadas para o lado errado: elas mesmas. De acordo com Rick Warren:

O propósito de sua vida é muito maior que sua realização pessoal, sua paz de espírito ou mesmo sua felicidade. É muito maior que sua família, sua carreira ou mesmo seus mais ambiciosos sonhos e aspirações. Se você quiser saber por que foi colocado neste planeta, deverá começar por Deus…

Existe uma infinidade de livros que tem no seu contexto o teor da Auto-Ajuda. Estes nos levam a fazer perguntas como: “O que eu quero ser? O que eu deveria fazer com a minha vida? Quais são meus objetivos, minhas ambições e meus sonhos para o futuro?” e outros assuntos que nos levam a olhar para dentro de nós buscando respostas. Segundo Warren: “pois [estes livros] abordam o assunto a partir de um ponto de vista egocêntrico”. Ao contrário do que dizem esses livros, nós não iremos descobrir o significado da vida buscando o propósito em nós mesmos.
Ao lermos Cl 1.16 vemos: “Pois, nele [Deus], foram criadas todas as coisas, nos céus e sobre a terra, as visíveis e as invisíveis, sejam tronos, sejam soberanias, quer principados, quer potestades. Tudo foi criado por meio dele e para ele”. Também em Rm 11.36 encontramos: “Porque dele, e por meio dele, e para ele são todas as coisas. A ele, pois, a glória eternamente. Amém!”. Com isso, observamos que o propósito de nossa vida é encontrado em Deus, somente Nele, pois é adorá-lo, glorificá-lo e honrá-lo.
E ainda podemos ler Ef 1.3-6, 11 e 12 NVI:

Bendito seja o Deus e o Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, que nos abençoou com todas as bênçãos espirituais nas regiões celestiais em Cristo. Porque Deus nos escolheu nele antes da criação do mundo, para sermos santos e irrepreensíveis em sua presença. Em amor nos predestinou para sermos adotados como filhos por meio de Jesus Cristo, conforme o bom propósito da sua vontade, para o louvor da sua gloriosa graça, a qual nos deu gratuitamente no Amado. […] Nele fomos também escolhidos, tendo sido predestinados conforme o plano daquele que faz todas as coisas segundo o propósito da sua vontade, a fim de que nós, os que primeiro esperamos em Cristo sejamos para o louvor da sua glória.

A resposta do nosso propósito está, mais uma vez, confirmada aqui. A partir disso, conclui-se que Deus, antes mesmo de nascermos, já tinha uma trajetória de sucesso para nós, apesar de muitas vezes perdermos o caminho e cairmos na desgraça de uma vida maldita, sem rumo, sem direção, Ele já tinha um plano para nossas vidas.
O Pai sabe tudo ao nosso respeito, nos conhece da melhor forma (“Eu, o SENHOR, esquadrinho o coração, eu provo os pensamentos; e isso para dar a cada um segundo os seus caminhos e segundo o fruto das suas ações”. – Jr. 17.10 RC), e pode nos auxiliar no manuseio desta máquina humana. Aí eu pergunto: É possível operar uma máquina sem conhecimento prévio, manual técnico ou auxílio do seu criador? Até hoje não foi possível, a não ser por meio de uma queima de neurônios violenta e muitos traumas ou danos deixados.
Por isso, só há uma forma de descobrirmos o nosso plano de vida: a entrega total de nosso ser ao Deus Criador; como está escrito em Mt 16.24,25: “Então, disse Jesus a seus discípulos: Se alguém quer vir após mim, a si mesmo se negue, tome a sua cruz e siga-me. Porquanto, quem quiser salvar a sua vida perdê-la-á; e quem perder a vida por minha causa acha-la-á”. É com a negação e a entrega total do Eu, deixando que o Espírito Santo habite e opere em nossos corações, tornando-nos homens espirituais, que o Senhor poderá trabalhar de forma plena, pois “O homem natural não aceita as coisas do Espírito de Deus, porque lhe são loucura; e não pode entendê-las, porque elas se discernem espiritualmente” (I Co 2.14).
Conforme está escrito em I Co 2.9,10: “Nem olhos viram, nem ouvidos ouviram, nem jamais penetrou em coração humano o que Deus tem preparado para aqueles que o amam. Mas Deus no-lo revelou pelo Espírito, porque o Espírito a todas as coisas perscruta, até mesmo as profundezas de Deus”. O Senhor Todo-Poderoso “é capaz de fazer infinitamente mais do que tudo o que pedimos ou pensamos, de acordo com o seu poder que atua em nós” (Ef 3.20b NVI).
Concluímos a partir desta reflexão que o Propósito da nossa vida não está em nós e, sim, Naquele que nos criou e manifestou a Sua maravilhosa Glória.

Graças te dou, visto que por modo assombrosamente maravilhoso me formaste; as tuas obras são admiráveis, e a minha alma o sabe muito bem; os meus ossos não te foram encobertos, quando no oculto fui formado e entretecido como nas profundezas da terra. Os teus olhos me viram a substância ainda informe, e no teu livro foram escritos todos os meus dias, cada um deles escrito e determinado, quando nem um deles havia ainda. (Salmo 139.14-16)

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

CADMIEL: UMA HISTÓRIA SEM FIM

SÓ QUEM PODE ME JULGAR É DEUS! SERÁ?!

PRECISAMOS FALAR DE SUICÍDIO NA ADOLESCÊNCIA?